Volkswagen perto de acordo bilionário com EUA

Montadora aceita pagar multas no total de 4,3 bilhões de dólares e admitirá culpa em acusações para encerrar processo sobre o escândalo de emissões. Acordo precisa ser aprovado por autoridades americanas.A montadora alemã Volkswagen anunciou nesta terça-feira (10/01) que está próximo de chegar a um acordo com a Justiça americana em relação ao escândalo da manipulação de dados poluentes em motores a diesel. A proposta prevê o pagamento de multas no total de 4,3 bilhões de dólares. Em comunicado, a Volkswagen confirmou os rumores sobre a negociação com as autoridades americanas. Os Estados Unidos acusam a montadora de ter criado um esquema para enganar as agências reguladoras e seus clientes ao criar um software para adulterar os resultados de testes de emissão de gases tóxicos nos motores a diesel. Além da multa de 4,3 bilhões de dólares, segundo a montadora, o acordo inclui medidas para fortalecer o controle de emissões por meio da fiscalização que será realizada por monitores autônomos nos próximos três anos. A empresa afirmou também que concordará com a admissão de culpa em algumas das acusações penais para encerrar processos criminais e civis sobre o caso. O acordo precisa ser aprovado pelo conselho administrativo da montadora e autoridades americanas. A Volkswagen disse que a aprovação ocorrerá nos próximos dias. Em setembro de 2015, a montadora admitiu a fraude após ser notificada pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA. O escândalo já custou a Volkswagen no país quase 15 bilhões de dólares, num acordo que contempla os donos de cerca de 475 mil carros a diesel em modelos 2.0. Além da escolha entre vender seu automóvel para a montadora, independentemente do estado ou idade do carro, ou submetê-lo a uma correção para que passe a cumprir as leis, este primeiro acordo estabeleceu o pagamento de indenizações para os donos dos veículos. O escândalo levou ainda a demissão de vários executivos da montadora e a prisão de um deles nos Estados Unidos no sábado. Oliver Schmidt, encarregado de assegurar que a produção da empresa estivesse de acordo com as regulamentações ambientais, foi acusado de conspiração para defraudar as autoridades. O escândalo manchou a imagem da Volkswagen, após a revelação de que a empresa teria burlado testes de emissão em 11 milhões de veículos mundo afora. A empresa enfrenta ainda investigações na Alemanha. CN/efe/rtr/dpa/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos