Marrocos proíbe venda da burca

Inicialmente, proibição abrange apenas venda e fabricação do véu. Imprensa local afirma que medida visa segurança, após criminosos usarem a peça para cometer anonimamente crimes.O Marrocos proibiu a fabricação e venda de burcas por motivos de segurança, alegando que o véu que cobre o corpo da cabeça aos pés está sendo usado para esconder a identidade de criminosos, segundo divulgou a imprensa local nesta terça-feira (10/01). Embora o anúncio oficial ainda não tenha sido feito, a imprensa afirmou que o Ministério do Interior colocaria em vigor a medida já nesta semana. "Proibiremos totalmente a importação, fabricação e comercialização desta peça de vestuário em todas as cidades e vilarejos do país", disse um alto funcionário do Ministério do Interior ao site de notícias Le360. Leia mais: A diferença entre burca, niqab e hijab De acordo com a imprensa, os comerciantes serão informados de que têm 48 horas para retirar a mercadoria das prateleiras, através de ações de sensibilização que pretendem esclarecer os donos das lojas sobre a iniciativa governamental. Caso não cumpram a medida, as peças podem ser confiscadas pelo governo. A proibição não deixa claro se englobará o uso da peça. A maioria das mulheres no Marrocos utiliza o hijab – véu que cobre apenas os cabelos. Em regiões mais conservadoras do país, as mulheres preferem usar o niqab – véu islâmico que deixa apenas os olhos à mostra – ao invés da burca. CN/afp/lusa/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos