Checkpoint Berlim: O Twitter engraçadinho da polícia

Rede social funciona como ferramenta de trabalho para a polícia da capital alemã, que procura testemunhas e informa a população. Mas se engana quem pensa que a conta é burocrática e séria.A polícia berlinense tem uma ferramenta de trabalho curiosa: sua conta no Twitter. Através da rede social, as autoridades procuram testemunhas para solucionar crimes e também informam a população sobre o cotidiano do seu trabalho e as operações que estão sendo realizadas. A plataforma auxilia ainda no trabalho dos jornalistas, como ocorreu durante a cobertura do atentado ao mercado natalino. O Twitter da polícia era uma das principais fontes de informações sobre o ataque, pois nele eram divulgadas, em primeira mão, as novidades sobre o caso. O uso da rede social não é exclusividade da polícia berlinense, pois as autoridades de Brandemburgo também utilizam a ferramenta, assim como as corporações de outros estados, embora alguns não sejam tão ativos. Apesar de ser uma fonte de informações, engana-se quem pensa que o Twitter da polícia é burocrático e sério. Tanto em Berlim como em Brandemburgo, os policiais adoram fazer piadas ou divulgar casos engraçados. Um destes é o do policial que ajudou um ganso perdido a voltar para o rio Spree, ou o crime nada convencional cometido por um gato que explodiu uma casa. Sozinho no apartamento, o animal acabou ligando algumas bocas do fogão elétrico ao passar sobre ele. A explosão foi causada por uma constelação de coincidências: um pote de plástico esquecido sobre o fogão pegou fogo, e um spray que estava ao lado explodiu devido ao calor. A explosão danificou o prédio de tal maneira que 31 pessoas tiveram que deixar suas residências até o conserto. A plataforma também serve para campanhas de orientação à população, por exemplo sobre como evitar assaltos a residências, ou para enviar mensagens de agradecimento e divulgar o trabalho cotidiano dos policiais. Uma das mais recentes piadas foi feita durante a "cobertura ao vivo" do réveillon no Portão de Brandemburgo. Segundo a polícia, um homem começou a gritar "bomba, bomba" no meio da multidão. No Twitter, os policiais postaram apenas "A resposta foi: 'Detenção e registro de ocorrência. Agora ele festeja conosco'. A hashtag era #nãoéengraçado. Mesmo sem considerar a ocorrência divertida, a polícia não perdeu a oportunidade de fazer piada nas redes sociais. Clarissa Neher é jornalista freelancer na DW Brasil e mora desde 2008 na capital alemã. Na coluna Checkpoint Berlim, publicada às sextas-feiras, escreve sobre a cidade que já não é mais tão pobre, mas continua sexy.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos