Putin afirma que relatório sobre Trump é "delírio total"

Presidente russo nega ter material comprometedor sobre o futuro presidente dos EUA e diz que responsáveis pelo relatório "são piores do que prostitutas$escape.getQuote().O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta terça-feira (17/01) que as alegações de que o seu governo possui material comprometedor que pode ser usado contra o presidente eleito dos EUA, Donald Trump, são um "delírio total". Ele disse ainda que os responsáveis por divulgar essas informações "são piores do que prostitutas" e que eles estão tentando "minar a legitimidade" de Trump com a divulgação de informações falsas. Na semana passada, o site Buzzfeed publicou um relatório encomendado por adversários de Putin e que foi posteriormente vazado. O texto diz que o serviço secreto russo espionou Trump durante uma viagem que o magnata realizou a Moscou em 2013, durante uma cerimônia do Miss Universo. O material, cuja veracidade não foi comprovada, diz que Trump se encontrou com prostitutas nn um hotel e que tudo teria sido registrado pelos russos. A divulgação desse boato levantou temores de que o presidente eleito possa vir a ser chantageado por Moscou. Ao comentar o caso, Putin disse: "Alguém acha mesmo que nossos serviços secretos ficam atrás de cada bilionário americano? É claro que não, é um delírio total!" "Quando Trump veio a Moscou ele não era uma figura política, nós nem estávamos a par das suas ambições políticas." O presidente também disse não acreditar que Trump iria recorrer aos serviços de prostitutas, já que ele é "alguém que organizou por toda sua vida concursos de beleza e que esteve com as mulheres mais bonitas do mundo". "Sabe, é difícil imaginar que ele fosse para um hotel encontrar essas meninas em situação social inferior, apesar de, claro, serem as melhores do mundo", afirmou, em tom irônico. Depois, Putin assumiu um ar sério para afirmar que a prostituição é "um fenômeno social sério e horrível, mas as pessoas que encomendam falsificações para usá-las contra o presidente eleito dos Estados Unidos (...) são piores do que prostitutas. Não possuem quaisquer limites morais". O presidente russo também disse que as informações de que hackers russos interferiram nas eleições americanas são notícias falsas. Ele também fez um paralelo entre as acusações contra Trump e os protestos de 2014 na Ucrânia. "Pelo visto, após os treinamentos em Kiev, eles estão prontos para organizar um 'Maidan' no seu território, em Washington, para que Trump não tome posse", disse o líder russo, citando a praça de Kiev onde ocorreram os protestos contra o então presidente do país, Viktor Yanukovytch, um aliado de Moscou. Na época, Putin acusou os EUA de terem orquestrado as manifestações que culminaram na queda do ucraniano. JPS/afp/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos