Empresas alemãs esperam pouco impacto com Brexit

Segundo instituto alemão, mais de 90% das companhias do país não temem que a saída britânica da UE possa afetar seus negócios. Boa parte inclusive acredita num aumento de investimentos estrangeiros na Alemanha.A maioria das empresas alemãs espera que a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) terá pouco ou nenhum efeito sobre seus negócios, de acordo com uma pesquisa divulgada pelo Instituto Colônia de Pesquisa Econômica (IW). A Alemanha, a maior economia da UE, tem sublinhado repetidamente a importância de manter os laços comerciais abertos com o Reino Unido depois da concretização do Brexit. O ministro das Finanças, Wolfgang Schäuble, disse na semana passada que o governo alemão tentará minimizar quaisquer danos tanto à UE quanto ao Reino Unido durante as negociações. No entanto, o levantamento do Instituto IW intitulado "Brexit, e daí?" concluiu que mais de 90% das 2.900 empresas questionadas disseram que não esperam nenhum ou muito pouco dano com o Brexit. Apenas 2% a 3% das empresas – principalmente do setor industrial – afirmaram que estimam um grande impacto em seus investimentos e na força de trabalho. As empresas foram questionadas sobre o impacto do Brexit em suas exportações ao Reino Unido, bem como sobre investimentos, emprego e processos de produção. Surpreendentemente, um quarto das empresas alemãs questionadas afirmou esperar se beneficiar da transferência de atividades comerciais para fora do Reino Unido, inclusive um aumento do investimento estrangeiro na Alemanha. O resultado da pesquisa contrasta com as expressões de preocupação dos fabricantes de automóveis e de agricultores, entre outros, sobre o possível impacto negativo de um Brexit "duro" – no qual o Reino Unido também sairia do mercado único europeu – sobre o comércio bilateral. Segundo o instituto alemão, o resultado do estudo coloca em questão o ponto de vista levantado no debate público britânico de que uma forte pressão política do setor empresarial alemão garantiria compromissos e acordos menos rígidos que beneficiariam o Reino Unido nas negociações da saída britânica da União Europeia. Os efeitos do Brexit nas empresas alemãs são muito limitados para estipular tais conjecturas. O Reino Unido é o terceiro maior mercado de exportação da Alemanha, depois de Estados Unidos e França. As exportações ao Reino Unido atingiram 80 bilhões de euros nos primeiros 11 meses do ano passado. Também por isso, mais de 60% das empresas disseram que preferem um Brexit "suave". As negociações definitivas do Brexit devem começar depois de Londres iniciar as formalidades, no fim de março. PV/rtr/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos