Trump quer taxar produtos mexicanos em 20% para bancar muro

Segundo porta-voz da Casa Branca, imposto sobre importações do México levaria à arrecadação de 10 bilhões de dólares por ano, quantia mais que suficiente para construir barreira na fronteira sul dos Estados Unidos.O presidente americano, Donald Trump, pretende financiar um muro a ser erguido na fronteira dos EUA com o México com a cobrança de um imposto de 20% sobre produtos importados do país vizinho, disse seu porta-voz nesta quinta-feira (26/01). "Com isso [o imposto de 20%], podemos obter 10 bilhões de dólares por ano e pagar facilmente pelo muro somente através desse mecanismo", disse Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca, a repórteres. "Isso claramente garante o financiamento e o faz de maneira que o contribuinte americano é totalmente respeitado." A imposição do imposto sobre produtos mexicanos precisaria ser aprovada pelo Congresso. A Casa Branca afirmou que Trump está trabalhando numa reforma fiscal junto ao Senado e à Câmara dos Representantes. Os planos da Casa Branca foram anunciados após o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto, cancelar uma visita a Washington agendada para a semana que vem, em meio à insistência de Trump para que o país vizinho arcasse com os custos do muro. Uma das promessas de campanha de Trump, a barreira na fronteira de 3,2 mil quilômetros entre os dois países tem como objetivo impedir a entrada de imigrantes ilegais nos EUA, e sua construção foi ordenada pelo presidente americano nesta quarta-feira. No mesmo dia, Peña Nieto reiterou em declaração televisiva que o México não acredita em muros e não pagará por muro algum. Se dirigindo a legisladores, Trump classificou a anulação do encontro com seu homólogo mexicano de uma decisão mútua, afirmando que ambos "concordaram em cancelar a reunião planejada". Antes do anúncio feito por Peña Nieto, Trump havia escrito no Twitter que seria melhor que o presidente mexicano cancelasse sua visita a Washington diante da recusa do país vizinho de custear o muro. A eleição de Trump deixou os republicanos no controle tanto da Casa Branca quanto do Congresso pela primeira vez em mais de uma década. No entanto, as posições do novo presidente muitas vezes o fizeram entrar em choque com o próprio partido, o que significa que um acordo sobre questões como uma reforma fiscal não é garantido. De acordo com o governo americano, as exportações do México para os EUA em 2015 somaram 316,4 bilhões de dólares. LPF/ap/rtr/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos