1938: Piloto Rosemeyer morre em acidente de carro

Ralf Geißler (gh)

No dia 28 de janeiro de 1938, o piloto alemão de corridas Bernd Rosemeyer morreu aos 28 anos de idade num acidente causado por rajadas de vento lateral, enquanto tentava quebrar um recorde de velocidade em estrada alemã.Bernd Rosemeyer passou a infância na oficina mecânica do pai. Curioso, acompanhava diariamente o trabalho dos mecânicos. No início da República de Weimar, em 1919, ele próprio já queria dirigir um automóvel, embora tivesse apenas nove anos de idade. Insistiu tanto que o pai o ensinou a dirigir. "Era cômico, já que minhas pernas de criança não alcançavam os pedais. Para acionar a embreagem e o freio, as alavancas foram alongadas com pedaços de madeira. Desde então eu sabia que meu destino era o automobilismo", contou, certa vez. Advertência do rival Aos 25 anos de idade, Bernd Rosemeyer conquistou o Grande Prêmio de Brünn e passou a colecionar recordes de velocidade. Na manhã de 28 de janeiro de 1938, queria quebrar o recorde de 400 km/h que alcançara numa estrada próxima a Frankfurt. Era um dia frio e as estradas estavam cobertas de geada. Ao chegar na pista, seu adversário, Rudolf Caracciola, já havia quebrado o dito recorde, com 432 km/h. Segundo o especialista em automobilismo Richard Kitschigin, de Berlim, ao embarcar em seu carro no grid de largada, às 11 horas, Rosemeyer congratulou Caracciola e disse: "Agora é a minha vez". Caracciola garantiu-lhe que não voltaria à pista, por medo das rajadas de vento lateral que enfrentara numa clareira próxima a Mörfelden. Já na primeira volta, Rosemeyer quase atingiu a velocidade do concorrente. Para a segunda largada, as rodas de seu carro foram revestidas, para melhorar a aerodinâmica. Com isso, a velocidade aumentou minimamente, mas o automóvel tornou-se mais vulnerável aos ventos laterais. Rajadas de vento lateral Rosemeyer largou novamente e só andou mais 9,2 km até sofrer o acidente fatal. O inspetor e o médico de plantão da corrida foram imediatamente ao local do acidente, mas encontraram o carro de Rosemeyer transformado em sucata e o piloto com a coluna quebrada, a 40 metros da autoestrada, sob uma árvore. Segundo Richard Kitschigin, as investigações concluíram que o veículo foi varrido da pista por uma rajada de vento e capotou várias vezes, exatamente no corredor mencionado por Caracciola. Na época, Kitschigin tinha oito anos de idade e Bernd Rosemeyer era seu grande ídolo – um exemplo para toda uma geração de pilotos. Adolf Hitler usou a popularidade do piloto de prestígio internacional, que era loiro, para fazer propaganda nazista. Após a morte precoce de Rosemeyer, o ditador nazista instituiu um prêmio nacional de automobilismo. Mas o tempo dos recordes de velocidade haviam passado.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos