PUBLICIDADE
Topo

Hamon é o candidato socialista à presidência da França

29/01/2017 18h48

Ex-ministro da Educação vence segundo turno da primária socialista e representará o partido na eleição de 23 de abril. Hamon derrota o ex-primeiro-ministro Manuel Valls, que renunciou ao cargo para se lançar candidato.O ex-ministro da Educação Benoît Hamon venceu o segundo turno da primária do Partido Socialista, tornando-se o candidato da legenda na eleição presidencial francesa, segundo mostram os resultados preliminares anunciados pelos organizadores da votação, realizada neste domingo (29/01).Com 60% das urnas apuradas, os resultados revelam que o ex-ministro vence a disputa com 58,65% dos votos, ante 41,35% dos votos para o concorrente, o ex-primeiro-ministro Manuel Valls.Valls, que era considerado o favorito, renunciou ao cargo de primeiro-ministro em dezembro do ano passado para se lançar candidato. O atual presidente, François Hollande, também socialista, desistiu de uma nova candidatura diante de sua baixa popularidade.Já Hamon despontou nos últimos dias e é um reconhecido crítico de Hollande, representando a guinada à esquerda dos socialistas do país. Ele pretende aumentar o salário mínimo, revogar novamente a liberalização do direito trabalhista, reduzir a jornada de trabalho, legalizar o consumo de maconha e criar 37 mil vagas para professores escolares.Na França, observadores políticos consideram utópicas as posições de Hamon. Entre elas, também está a exigência de um salário mínimo incondicional para todos os franceses no valor de 750 euros.Apesar de sua vitória na primária socialista, as suas chances de chegar à presidência são poucas. As pesquisas de opinião o veem com apenas 8% da preferência do eleitorado no primeiro turno da eleição presidencial, marcado para o próximo dia 23 de abril.Os socialistas franceses estão em baixa devido à impopularidade de Hollande. Além disso, há candidatos do campo da esquerda que não participaram das primárias socialistas, como o ex-ministro da Economia Emmanuel Macron, que disputará a eleição de forma independente.EK/afp/ap/efe/ots