Alemanha aprova tornozeleira eletrônica para suspeitos de terrorismo

Objetivo é monitorar potenciais extremistas. Medida faz parte de pacote de segurança para evitar atentados semelhantes ao ocorrido em feira natalina de Berlim, que deixou 12 mortos.O governo federal da Alemanha aprovou nesta quarta-feira (01/02) o uso de tornozeleiras eletrônicas para monitorar supostos extremistas que representem ameaça à segurança do país. A medida faz parte de um pacote de ações para evitar novos atentados terroristas na Alemanha. A iniciativa é uma resposta ao ataque a uma feira natalina de Berlim em dezembro passado, que deixou 12 mortos. O tunisiano Anis Amri, que avançou com um caminhão contra os frequentadores do mercado de Natal, teve o pedido de asilo negado na Alemanha, mas tinha um status de "tolerado" concedido pelas autoridades alemães. Além da maior vigilância por meio de tornozeleiras eletrônicas, o pacote de medidas acordado pelos ministros do Interior, Thomas de Maizière, e da Justiça, Heiko Maas, em janeiro, inclui ainda regras mais flexíveis para acelerar deportações. De Maizière também anunciou no mês passado a criação de um novo sistema informatizado de avaliação de ameaças. Denominado Radar, o dispositivo deve ajudar a rastrear novos terroristas. Nesta quarta-feira, mais de mil agentes da Promotoria de Frankfurt e do Escritório de Investigação Criminal (LKA) de Hessen fizeram buscas na região, que tiveram como alvo 16 membros de uma "célula terrorista". O principal suspeito, um tunisiano de 36 anos, foi detido em Frankfurt. Ele teria recrutado jihadistas para o grupo "Estado Islâmico" (EI) e planejado um ataque na Alemanha. KG/ap/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos