Checkpoint Berlim: A lenda do aeroporto

Clarissa Neher

Desde 2012, capital alemã adia inauguração de aeroporto internacional. Obras já completam dez anos, e problemas estruturais surgem constantemente. Último são portas automáticas.A inauguração do novo aeroporto – que já em pé há quase cinco anos e não é mais tão novo assim – está virando uma lenda urbana de Berlim. Com a reunificação, a capital alemã precisava de uma porta de entrada via aérea a sua altura. Os três aeroportos em funcionamento eram antigos e seriam substituídos por um moderno, localizado nos arredores da cidade. Em 2006, foi dada a largada para a construção desta maravilha da engenharia. Os planos iniciais previam uma suntuosa inauguração em novembro de 2011. As obras iam de vento em popa. Inicialmente orçado em cerca de 2,5 bilhões de euros, o aeroporto era um dos maiores projetos de infraestrutura da Alemanha. Claro que os custos deveriam aumentar até a inauguração, afinal, conversando certa vez com um arquiteto alemão, descobri que na prática aqui o valor real dos projetos costumam ser subestimado em licitações, para que as obras públicas sejam autorizadas. Ao sair do papel, é impossível construir com o recurso previsto. Essa manobra acarreta sempre uma explosão no valor total da obra. O que não estava previsto na história eram os constantes adiamentos da inauguração devido a erros do projeto ou ideias que não foram testadas, mas mesmo assim foram aplicadas e acabaram sendo não tão brilhantes assim. Em 2010, o primeiro cancelamento: o aeroporto só ficaria pronto para junho de 2012. Início de 2012, quase tudo pronto para inauguração, últimos testes estavam sendo realizados no aeroporto. Tudo para fazer bonito no primeiro dia de funcionamento. Porém, algumas semanas antes da estreia, outro balde de água fria: um complexo e moderno sistema de proteção de incêndio não funcionou. Um dos testes resultou num caos e num novo adiamento. Desde então, o aeroporto está lá praticamente pronto, mas ano após ano surgem novos problemas. Estruturas inteiras precisaram ser refeitas e houve várias mudanças nos diretores do projeto. Cada nova data anunciada para a inauguração trazia consigo incertezas. Mas neste ano tudo seria resolvido – pelo menos era essa a promessa. Na semana passada, no entanto, foi constatado que cerca de 800 portas automáticas instaladas estão dando problema. O anúncio veio com mais um adiamento. Desta vez, o governo da capital alemã preferiu não marcar uma nova data para a estreia, primeiro fará uma avaliação. Na próxima semana, a comissão responsável pela obra tem uma reunião marcada para tratar do futuro do projeto. Há três anos, especialistas alertaram que a lista de problemas do aeroporto só seria resolvida em 2019. A cada novo atraso, o custo da obra e da manutenção explode. Atualmente o valor que deveria ser gasto no aeroporto quase triplicou, o custo total do projeto já chega a 6,6 bilhões de euros. Outra triste constatação: o espaço abrirá suas portas já precisando de ampliações, pois o número de passageiros previsto no projeto final é bem menor do que o fluxo que chega atualmente à cidade. Enquanto a inauguração não acontece, Tegel e Schönefeld continuam recebendo os visitantes de Berlim. Clarissa Neher é jornalista freelancer na DW Brasil e mora desde 2008 na capital alemã. Na coluna Checkpoint Berlim, publicada às sextas-feiras, escreve sobre a cidade que já não é mais tão pobre, mas continua sexy.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos