Marine Le Pen lança campanha presidencial

"Primeiro os franceses": a pouco mais de dois meses da eleição para presidência da França, candidata populista de direita divulga programa partidário com 144 promessas eleitorais.Neste sábado (04/02), a presidente da legenda populista de direita Frente Nacional e candidata à presidência da França, Marine Le Pen, apresentou o seu programa eleitoral em Lyon, no sudeste da França. O programa contém 144 promessas eleitorais. Segundo o desejo da candidata de extrema direita, depois do Brexit, deve vir agora o "Frexit", ou seja, a pretendida saída da França da União Europeia. Além disso, Le Pen deseja que seu país abandone a moeda comum europeia. Em seu programa partidário, Le Pen defende ainda o protecionismo econômico e a redução drástica da imigração. Nas pesquisas de opinião pública, nunca um partido de extrema direita pôde esperar um resultado tão bom numa eleição presidencial francesa. De acordo com as últimas enquetes relativas ao pleito em abril, Marine Le Pen está à frente com 25% das intenções de voto e deverá passar para o segundo turno eleitoral. "Frexit" e euro Uma das principais promessas eleitorais de Marine Le Pen é o "Frexit", ou seja, a saída da França da União Europeia. Em caso de vitória eleitoral, Le Pen pretende convocar um referendo seis meses após chegar ao poder, para que os franceses decidam se querem permanecer ou não no bloco europeu. Mas, primeiramente, ele pretende negociar com Bruxelas o retorno de "quatro direitos soberanos" para a França: política monetária, legislação, política orçamentária e econômica, como também o controle de fronteiras. Se o resultado das negociações for do seu agrado, Le Pen promete fazer campanha pela permanência da França na UE; caso contrário, por uma saída. Além disso, Le Pen pretende desistir do euro e retornar a uma moeda nacional. No entanto, uma moeda comum europeia deve, por exemplo, continuar a ser possível para as operações de grandes empresas. Leia também: Quem são os candidatos à presidência da França? "Primeiro os franceses" e protecionismo econômico Le Pen quer ancorar na Constituição o princípio da "prioridade nacional" – cidadãos franceses devem, por exemplo, ter preferência na procura de empregos e de habitações sociais. A crise na economia deve ser combatida com um "protecionismo inteligente" e um "patriotismo econômico". Isso prevê a proteção de empresas francesas da concorrência estrangeira, também em licitações públicas. A Frente Nacional rejeita acordos de livre-comércio. Produtos e serviços vindos de outros países deverão ser taxados com um imposto extra de 3%. Com o dinheiro, deverá ser financiado um bônus para trabalhadores de baixa renda e aposentados – dois importantes grupos de eleitores da legenda populista de direita. Imigração e terrorismo A luta contra a imigração é um dos principais temas de campanha da Frente Nacional. O partido defende já há muito tempo um corte drástico na entrada de migrantes: o saldo de migração – a diferença imigração menos emigração – deverá passar dos atuais 40 mil para 10 mil imigrantes anuais. Le Pen pretende ainda seguir um curso linha-dura na política de segurança, com a contratação de 15 mil novos policiais. Os subúrbios problemáticos das metrópoles franceses deverão ser "desarmados" e o direito penal deverá ser acirrado sob o lema "tolerância zero". Além disso, a candidata populista de direita promete criar 40 mil novas vagas em presídios. Na luta contra o islamismo, mesquitas com pregadores radicais deverão ser fechadas e possíveis estrangeiros perigosos serão deportados. Pena de morte e segundo turno Le Pen é a favor da pena de morte. Embora ela tenha retirado de seu programa eleitoral a reintrodução da pena capital, abolida em 1981 na França, ela exige que a prisão perpétua seja aplicada para crimes hediondos. Além disso, ela deixa uma porta aberta para a reintrodução da pena de morte ao querer introduzir iniciativas populares em seu país – estimulando que os franceses possam, dessa forma, optar pelo retorno da pena de morte. Embora as pesquisas de intenção de voto apontem vantagem para Marine Le Pen no primeiro turno, no segundo pleito, no entanto, ela deverá esperar uma grande derrota, não importa se o seu adversário seja o conservador François Fillon ou a jovem estrela política independente Emmanuel Macron. Ainda que depois do Brexit a importância de pesquisas eleitorais esteja sendo questionada, a diferença na intenção de voto entre Le Pen e um de seus possíveis adversários no segundo turno é bem clara: respectivamente, 40% e 60%. CA/afp/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos