Turquia prende mais de 400 suspeitos de ligação com EI

Centenas de possíveis membros do "Estado Islâmico" (EI) foram presos em buscas realizadas em várias cidades turcas. Estado-Maior em Ancara afirma que bombardeios "neutralizaram" mais de 50 jihadistas no norte da Síria.Segundo informações da polícia turca, buscas em todo país resultaram na prisão, neste domingo (05/02), de mais de 400 supostos membros do grupo terrorista "Estado Islâmico" (EI). Entre os suspeitos, estariam estrangeiros e extremistas acusados de planejar atentados, anunciou as agências de notícias Anadolu e Dogan. Somente na cidade de Sanliurfa, no sudeste da Turquia, foram detidos mais de 150 suspeitos, informou a Dogan. Na cidade de Gaziantep, perto da fronteira síria, forma 47 detenções. Na capital Ancara, as buscas em quatro distritos resultaram num total de 60 prisões, enquanto 18 suspeitos de terrorismo foram presos em Istambul. A agência de notícias Anadolu chegou a falar num total de mais de 420 detenções. As buscas ocorrem um mês após o atentado a uma boate em Istambul, que provocou a morte de 39 pessoas na noite de Ano Novo. O EI assumiu a autoria do atentado. Um atirador preso duas semanas depois do atentado afirmou que teria recebido ordens diretamente do grupo jihadista a partir do bastião do EI na cidade síria de Raqqa. Por ordem de um tribunal em Istambul, na última sexta-feira, foram detidas cerca de dez de pessoas supostamente ligadas ao atentado à casa noturan. No ano passado, a Turquia foi abalada por diversos ataques com centenas de mortos. Além do EI, as autoridades culpam o proibido Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) pelos atentados. Ofensiva na Síria Caças turcos bombardearam 65 posições do "Estado islâmico" (EI) e "neutralizaram" 51 jihadistas no norte da Síria, segundo informou neste domingo o Estado-Maior em Ancara. O exército turco e milícias leais sírias mantêm há semanas um cerco sobre a cidade setentrional síria de Al Bab, em poder do EI, dentro da ofensiva "Escudo do Eufrates", que Ancara lançou no norte do país árabe no final de agosto do ano passado. Segundo o Exército turco, quatro dos jihadistas "neutralizados" seriam "emires", o titulo que o EI dá a seus comandantes, e nos bombardeios também foram destruídos 56 edifícios e três centros de comando nos arredores de Al Bab. As autoridades turcas usam a palavra "neutralizado" para referir-se a combatentes mortos, feridos ou capturados, segundo lembra o jornal Hürriyet. CA/afp/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos