Opositor de Putin é condenado por fraude

Considerado culpado por desvio de dinheiro público, Alexei Navalny, uma das principais vozes críticas ao Kremlin, deve ficar de fora da corrida presidencial de 2018. Político se declara inocente das acusações.Um tribunal russo declarou nesta quarta-feira (08/02) o líder opositor Alexei Navalny culpado por desvio de dinheiro público, na repetição de um julgamento de 2013 que foi anulado. A decisão desqualifica um dos maiores críticos do Kremlin a se candidatar na eleição presidencial de 2018. O juiz Alexei Vtyurin considerou Navalny culpado por se apropriar de 10 mil metros cúbicos madeira no valor de 500 mil dólares de uma empresa pública de exploração florestal, a Kirovless, quando era assessor do governo regional de Kirov. A promotoria pediu cinco anos de prisão com pena suspensa para o opositor, um dos organizadores dos maiores protestos antigoverno desde a queda da União Soviética, em 2011 e 2012. A sentença será anunciada numa audiência posterior. A legislação eleitoral russa não permite candidatos com antecedentes criminais. Portanto, Navalny será privado de apresentar sua candidatura. No entanto, o gerente da campanha eleitoral, anunciada em dezembro, disse que ela vai prosseguir. Repetição do julgamento O opositor já havia sido sentenciado em 2013 pelo mesmo crime. A condenação, no entanto, foi cancelada pelo Supremo depois que o Tribunal Europeu de Direitos Humanos denunciou infrações durante o processo judicial, considerando a sentença "arbitrária". Navalny denunciou nesta quarta-feira que a nova condenação repetiu, palavra por palavra, as mesmas conclusões que foram invalidades pelo tribunal europeu. Ele se declarou inocente de todas as acusações e tachou o processo de "político". O líder opositor, de 40 anos, ganhou fama ao denunciar em seu blog a corrupção na administração pública. Ele se apresenta como o principal rival de Vladimir Putin no pleito presidencial de 2018. Putin ainda não anunciou se tentará a reeleição. Navalny concorreu e ficou em segundo lugar na eleição à prefeitura de Moscou de 2012, recebendo 27,5% dos votos. Segundo analistas, ele é o único opositor com boas chances no próximo pleito presidencial. LPF/efe/lusa/ap/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos