Adolescente de Camarões vence competição da Google

Moki Kindzeka (lpf)

Jovem de 17 anos é o primeiro africano a ganhar torneio internacional de programação. Ele superou um bloqueio à internet imposto pelo governo, conflitos étnicos no país e o ceticismo do próprio pai.O adolescente Nji Collins Gbah, natural de Camarões, é o primeiro vencedor africano da competição anual de programação da Google. O jovem de 17 anos superou uma série de obstáculos, incluindo um bloqueio à internet imposto pelo governo. Camarões cortou a internet nas regiões de língua inglesa do país há quatro semanas, afirmando se tratar de uma medida necessária para conter protestos e impedir que as pessoas usem as redes sociais para propagar "mensagens antigoverno". Os protestos começaram em outubro do ano passado. A população se queixa de uma suposta marginalização dos falantes de inglês e da falta de respeito ao status do inglês como um idioma oficial do país por parte da maioria francófona. Ao menos seis manifestantes foram mortos a tiros e centenas foram detidos. Apesar das adversidades, Gbah viajou para Bafoussam, cidade numa área de língua francesa, para poder ter acesso à internet, inscrever-se na competição internacional e completar as tarefas determinadas pela Google. "Eles nos pediram que soubéssemos algumas coisas básicas sobre ciência da computação e programação e sobre como usar certos softwares. Você basicamente só precisa criar uma conta ou usar a sua conta da Google se tiver uma", explicou o garoto. Para praticar, o jovem teve que pegar emprestado o computador do pai. "Ele costumava pegar o meu computador, e eu não ficava muito feliz com isso porque sentia que ele estava só desperdiçando tempo, sem fazer as tarefas domésticas", disse o pai, Nji Patrick. "Às vezes eu confiscava o computador e o trancava." Exemplo para a juventude Após o ceticismo inicial, o pai admitiu que o filho agora serve de exemplo para muitos jovens por ter superado todas as adversidades para vencer a competição. "Fiquei muito surpreso. Senti-me culpado por ter sido tão duro com ele, mas agora estou muito feliz", disse o pai. Para muitos jovens de Camarões, a vitória mostra o quanto eles estão perdendo com o bloqueio à internet em sua região. "Este jovem teve a inspiração de ir para Bafoussam, mas não se sabe quantos mais poderiam ter ido para o pódio e não tiveram a chance por causa da falta de internet. É uma pena", disse o adolescente Atteh Francis. O jovem vencedor acredita que sua vitória serve de inspiração para se encontrar soluções para problemas como o atual bloqueio à internet. "Eu gostaria de estudar ciência da computação numa universidade. A principal coisa é focar exatamente no que você quer fazer. Uma vez que você tem um objetivo e você vê que vai ter benefícios ao final ou que vai aprender algo de novo com isso, então você deveria ir em frente", disse Gbah. Enquanto isso, o governo diz que o bloqueio à internet vai permanecer. "Redes sociais oferecem uma série de possibilidades, como alertas no caso de desastres. Mas percebemos que muitas pessoas as usam para propósitos não saudáveis", afirmou o ministro de Telecomunicações de Camarões, Libom Li Likeng.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos