Mais uma baixa no governo Trump

Indicado pelo presidente dos EUA para o Departamento do Trabalho desiste de sabatina no Senado, após revelação de que contratou empregado em condição ilegal sem pagar os devidos impostos.Pouco depois da renúncia do ex-assessor de Segurança Nacional Michael Flynn, em razão de mentir sobre seus contatos com o embaixador russo, mais um membro de gabinete nomeado do presidente americano, Donald Trump, se viu forçado a abandonar o governo. O indicado para a Secretaria do Trabalho, Andrew Puzder, enfrentaria forte resistência no Senado, onde seria sabatinado nesta quinta-feira (15/02). Segundo a imprensa americana, 12 senadores republicanos estavam prontos para rejeitá-lo. Possivelmente antevendo as dificuldades, o bilionário, presidente da empresa CKE, que administra duas cadeias de lanchonetes fast-food, abdicou da nomeação. No passado, Puzder contratou serviços domésticos de um empregado em situação ilegal no país. Segundo relatos, ele sabia da condição de seu empregado. Ele afirma que o demitiu há cerca de cinco anos, mas deixou de pagar os impostos referentes à contratação até ser nomeado por Trump, no dia 9 de dezembro. Puzder afirma que pagou os impostos assim que soube que estava em débito com as autoridades tributárias americanas, mas não explicou por que levou cinco anos para fazê-lo. Ele informou a Casa Branca sobre o fato somente depois de que já tinha sido indicado. O episódio lhe custou o apoio de uma parcela significativa dos senadores republicanos. Os democratas, por sua vez, o criticavam desde o anúncio de sua indicação. Como empresário, Puzder se posicionou contra regulamentações trabalhistas e reajustes no salário mínimo. RC/ap/dpa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos