Pinguim é caso mais recente de roubo em zoos alemães

Ladrões miram principalmente espécies raras ou ameaçadas de extinção para revendê-las a clientes ricos, muitas vezes no exterior. Também micos-leões-dourados e araras-azuis já foram roubados.Araras-azuis, micos-leões-dourados, gaviões e pinguins: há anos que ladrões atacam em zoológicos alemães. O caso mais recente ocorreu na cidade de Mannheim. No sábado passado, a administração do parque Luisenpark deu pela falta de um pinguim-de-Humboldt após uma contagem dos animais. Tratava-se de um filhote de entre 50 e 60 centímetros. A ave trazia consigo um chip de identificação implantado e, por isso, não poderia ser vendida. Depois de uma exaustiva procura, uma pessoa achou o animal morto nesta quinta-feira (16/02), nas proximidades do parque. "Aparentemente, o criminoso se livrou dele", afirmou a polícia. Para Volker Homes, diretor da Associação de Jardins Zoológicos da Alemanha, não se trata de um roubo ocasional. "Por trás da grande maioria dos casos estão criminosos altamente especializados", diz Homes. "Não é um caso de 'eu achei o pinguim tão bonito e vou levá-lo para a minha casa'. Trata-se de crime organizado e tráfico ilícito." Homes enfatizou ainda que, quando se trata de crime organizado, é provável que o animal seja levado para o exterior. Por trás dos criminosos estão, frequentemente, clientes ricos. Especialmente cobiçadas são espécies ameaçadas de extinção, principalmente aves e répteis. "Trata-se de compradores que querem reproduzi-los ou criá-los num pequeno zoológico particular." A polícia de Mannheim afirmou não descartar totalmente que alguém tenha, apenas por diversão, pulado a cerca baixa do recinto dos pinguins e colocado o animal de cinco quilos num saco. "Mas um roubo profissional também é possível", disse um porta-voz. O pinguim-de-Humboldt é considerado uma espécie em extinção e é popular entre os criminosos. Três exemplares foram roubados em Dortmund, em 2015, e, muitos anos antes, outros três em Heidelberg. "Talvez isso se explique pelo fato de ser a espécie de pinguim mais difundida na Alemanha", opina Christina Schubert, de uma associação de proteção dos pinguins-de-Humboldt. Pinguins-de-Humboldt podem ser mantidos em recintos ao ar livre sem grande esforço no país. "Em contraste, pinguins-gentoo vivem em Frankfurt atrás de vidros blindados por razões climáticas", disse a especialista. Ela também duvida que o caso de Mannheim tenha sido uma brincadeira de mau gosto. "Uma pessoa precisa saber lidar com pinguins. Eles podem ferir alguém." Nos últimos anos aconteceram vários roubos de animais em zoológicos na Alemanha. Em Krefeld foram roubados, entre outros, duas araras-azuis e três micos-leões-dourados. Em Brandemburgo sumiram três filhotes de canguru. Em Suhl foi roubada uma serpente e, em Bremerhaven, um Flamingo. Um exemplar de mico-leão-dourado pode valer até 30 mil euros no mercado negro. FC/afp/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos