Bundeswehr é alvo de notícia falsa na Lituânia

E-mail enviado para políticos e mídia lituanos afirma que soldados alemães teriam estuprado uma menor de idade. Segundo Otan, ataque veio da Rússia e tem objetivo de prejudicar missão militar.Soldados da Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) estacionados na Lituânia estão sendo alvo de notícias falsas sobre um suposto estupro. Há alguns dias, e-mails foram enviados para políticos e meios de comunicação lituanos afirmando que militares teriam estuprado uma menor de idade, disse um porta-voz do ministério da Defesa nesta quinta-feira (16/02) em Berlim. Segundo a revista Der Spiegel, este é mais um exemplo da difusão de notícias falsas pela Rússia, com o objetivo de atacar e desmoralizar as Forças Armadas alemãs e a Otan, que estão estacionados na Lituânia há algumas semanas. O método usado é muito parecido com o de um outro caso em 2016, quando a mídia da Rússia noticiou por vários dias que refugiados teriam estuprado uma jovem teuto-russa em Berlim, e que as autoridades alemãs não teriam tomado providências. Mais tarde comprovou-se que o estupro nunca havia acontecido. De acordo com o Ministério da Defesa alemão, um e-mail foi enviado em 14 de fevereiro para o presidente do Parlamento e veículos de comunicação da Lituânia afirmando que soldados alemães em uniformes teriam estuprado uma jovem cinco dias antes na localidade de Jonava. Segundo a Spiegel, alguns meios de comunicação do país abordaram o tema, e o governo lituano desmentiu o incidente. Um porta-voz do Ministério da Defesa afirmou que o presidente do Parlamento repassou o caso à polícia e aos ministérios lituanos competentes, além dos militares alemães na Lituânia. "Conforme é de nosso conhecimento, as investigações policiais lituanas revelaram que não há vítimas, eventuais testemunhas nem agressores", afirmou. Uma primeira verificação do endereço de e-mail mostrou que ele não existe mais, acrescentou o porta-voz. As autoridades lituanas estão tentado identificar a origem do respectivo endereço de IP, e a polícia do país báltico instaurou um inquérito. Segundo a revista, a sede da Otan em Bruxelas foi informada sobre o caso. Umm diplomata da aliança militar declarou que a ação é vista como uma tentativa da Rússia de prejudicar a operação militar na Lituânia, que começou recentemente, e de criar um clima negativo contra a Otan no país. No contexto da presença militar reforçada no Leste da Europa, as Forças Armadas alemãs participam da ação na Lituânia com cerca de 130 soldados. Dessa forma, a aliança militar reage à anexação da Crimeia em 2014 pela Rússia e à crise no leste da Ucrânia. As ações russas haviam causado a preocupação, principalmente nos três países bálticos (Estônia, Letônia e Lituânia), mas também na Polônia, de que Moscou poderia planejar algo semelhante também nessas nações. FC/afp/dpa/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos