Presença de ministro turco em evento na Alemanha gera críticas

Ministro da Justiça faz campanha pela introdução do sistema presidencial na Turquia, a ser decidida em referendo. Políticos alemães criticam "busca de apoio para a criação de uma ditadura$escape.getQuote().A participação de um ministro do governo turco num evento político na Alemanha, nesta quinta-feira (02/03), desencadeou uma série de críticas no país, em meio à tensão diplomática causada pela prisão preventiva do jornalista teuto-turco Deniz Yücel na Turquia. O ministro turco da Justiça, Bekir Bozdag, vai participar de um evento na cidade de Gaggenau, no estado de Baden-Württemberg, no sul da Alemanha. Segundo o partido turco AKP, do presidente Recep Tayyip Erdogan, trata-se de um evento de campanha, no qual o ministro buscará apoio para o sistema presidencial no referendo constitucional marcado para 16 de abril. Segundo as autoridades locais, oficialmente trata-se da assembleia de constituição da sede local da União dos Democratas Euro-Turcos (UETD, na sigla original), uma organização favorável ao AKP. A Alemanha abriga a maior diáspora turca, e em torno de 1,4 milhão de pessoas poderão votar no referendo. Políticos alemães criticaram a presença de Bozdag na Alemanha. O líder do partido A Esquerda, Bernd Riexinger, disse que o ministro turco está em busca de votos para as "fantasias totalitárias" de Erdogan. "O déspota turco está conduzindo o governo alemão pela focinheira", disse. Riexinger acrescentou que o governo alemão não pode permitir que alguém vá à Alemanha para "buscar apoio para a criação de uma ditadura". A mesma posição foi expressada pelo líder estadual do Partido Liberal Democrático (FDP), Hans-Ulrich Rülke. A comunidade turca na Alemanha afirmou que a presença de Bozdag na Alemanha mistura atividades governamentais e partidárias. "Não acho correto que o governo turco tente, com meios públicos, interceder a favor do AKP no exterior", disse o presidente da comunidade, Gökay Sofuoglu. O governo estadual disse não ter sido informado sobre a presença de Bozdag e afirmou que não pode proibir a sua participação no evento. O secretário da Justiça de Baden-Württemberg, Guido Wolf, da União Democrata Cristã (CDU), também criticou a presença de um ministro do governo turco na Alemanha para fazer campanha e disse que "faria mais sentido conversar conosco sobre direitos fundamentais, Estado de Direito e liberdade de imprensa", numa alusão ao caso Yücel. Na semana passada, o primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, esteve em Oberhausen, no oeste da Alemanha, para fazer propaganda a favor da reforma constitucional. AS/dpa/ard

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos