Aumenta pressão para que Fillon deixe corrida eleitoral

Em meio a escândalo de corrupção, candidato é abandonado por porta-voz após uma série de deserções na equipe de campanha. Antigo rival Juppé se diz disposto a representar os conservadores no pleito presidencial.A 51 dias da eleição presidencial na França, é cada vez maior a pressão para que o candidato dos conservadores, François Fillon, investigado por supostos empregos fictícios para a esposa e os dois filhos, abandone a corrida eleitoral. A campanha de Fillon sofreu mais um golpe nesta sexta-feira (02/03), com o pedido de demissão de seu porta-voz, Thierry Solère, somando-se a uma longa lista de deserções. Também abandonaram a campanha dois diretores-adjuntos, o tesoureiro e o porta-voz para questões de política externa. Dezenas de deputados retiraram seu apoio ao candidato. Leia mais: Quem são os candidatos à presidência da França? Também nesta sexta-feira, o ex-primeiro-ministro francês e atual prefeito de Bordeaux, Alain Juppé, assegurou a pessoas próximas que está disposto a substituir Fillon caso o candidato do partido Os Republicanos desista da corrida eleitoral. O antigo rival de Fillon nas primárias da centro-direita afirma que se mantém fiel ao atual representante de seu partido, mas que aceitaria ocupar seu o posto se for preciso, noticia nesta sexta-feira a imprensa francesa. Alguns dos políticos que já retiraram seu apoio à candidatura de Fillon mencionaram Juppé como possível substituto. O ex-primeiro-ministro Dominique de Villepin e a eurodeputada Nadine Morano pediram que Fillon se retire da corrida. "Se ele seguir adiante apesar de tudo, estaremos num beco sem saída", declarou Morano. Nesta quarta-feira, Fillon disse que será formalmente investigado por ter supostamente criado empregos falsos para a esposa e os filhos, mas que mantém a sua candidatura às eleições marcadas para 23 de abril. Neste sábado, Fillon deve apresentar seu programa político à sociedade civil em Aubervilliers, ao norte de Paris. O candidato espera reunir 200 mil pessoas em uma manifestação em defesa de sua candidatura que foi convocada para domingo na praça de Trocadero, diante da Torre Eiffel. Pesquisas favorecem Juppé Segundo uma pesquisa de opinião divulgada nesta sexta-feira, uma candidatura de Juppé poderia reverter a dinâmica da campanha eleitoral a favor dos conservadores. O novo levantamento do instituto Odoxa aponta que Juppé venceria o primeiro turno se substituísse Fillon, e poderia deixar a candidata populista direita Marine Le Pen, da Frente Nacional, de fora do segundo turno. Na pesquisa, Juppé aparece com 26,5% das intenções de voto no primeiro turno, o independente Emmanuel Macron, com 25%, e Le Pen, com 24%. A margem de erro é de 3 pontos. De acordo com a sondagem, se Fillon mantiver a candidatura, será eliminado já no primeiro turno, com 19% das intenções de votos, atrás de Macron (27%) e de Le Pen (25,5%). A pesquisa não analisou o cenário para o segundo turno, mas todos os levantamentos divulgados até agora apontam que Le Pen seria derrotada no segundo turno por qualquer um dos demais candidatos. A sondagem do Odoxa foi feita nestas quarta e quinta-feira, depois de Fillon ter anunciado que vai ser formalmente acusado por uso indevido de fundos públicos. Há cerca de um mês, antes do escândalo ser revelado pelo semanário satírico Le Canard Enchaîne, o candidato conservador ainda aparecia nas pesquisa como o favorito para derrotar Le Pen. LPF/efe/lusa/afp/ap/dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos