Em Moscou, Erdogan e Putin exaltam restabelecimento das relações

Presidentes russo e turco se reúnem no Kremlin para discutir atuação no conflito sírio e destacam "ritmo rápido" da reaproximação entre os dois países e "contato estreito e eficaz" entre forças militares.Em reunião diplomática nesta sexta-feira (10/03) em Moscou, o presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo turco, Recep Tayyip Erdogan, mostraram-se satisfeitos com o ritmo de normalização das relações bilaterais, tanto no plano econômico como no acerto de conflitos, incluindo o sírio. "Estamos muito contentes por nossas relações estarem se restabelecendo num ritmo tão rápido", disse Putin, que selou as pazes com Erdogan em agosto do ano passado, após meses de tensões decorridas da derrubada de um avião de guerra russo por um caça turco na fronteira com a Síria, em novembro de 2015. O líder russo frisou que ambos os países "trabalham ativamente na solução das crises mais agudas, em primeiro lugar na Síria". "Estou muito contente em destacar que nossos serviços militares e especiais têm estabelecido um contato tão estreito e eficaz", afirmou Putin após o encontro. Em dezembro, Moscou e Ancara negociaram um acordo de cessar-fogo que ajudou a reduzir os combates entre as forças do governo do presidente Bashar al-Assad e os grupos opositores. Também acertaram, neste ano, rodadas de negociações de paz entre ambas as partes do conflito sírio. Em pronunciamento à imprensa ao lado de Erdogan nesta sexta-feira, Putin afirmou que a preservação da integridade territorial da Síria é condição indispensável para a resolução do conflito no país. "O princípio da integridade territorial dos Estados deve ser respeitado", destacou. O presidente turco, por sua vez, respaldou a declaração de Putin, afirmando que manter a atual fronteira da Síria é o "objetivo principal" da Turquia, que faz forte oposição à criação de uma região de autonomia curda no norte do país árabe, como acontece no vizinho Iraque. Erdogan também afirmou que Rússia e Turquia devem fazer "esforços conjuntos para acabar com o derramamento de sangue na Síria", salientando que as forças turcas se concentram agora em "limpar terroristas no norte do país", referindo-se à batalha contra o grupo jihadista "Estado Islâmico". Acordos econômicos Nesta sexta-feira, Moscou anunciou ainda ter suspendido parcialmente um veto de importação de alimentos turcos, imposto em 2015 em meio a tensões por conta do caça derrubado pela Turquia. A Rússia voltará a importar cebola, couve-flor e brócolis turcos, mas manteve o veto a tomates. Segundo o presidente turco, também recuperaram impulso as conversações entre os países sobre projetos como a primeira usina nuclear turca de Akkuyu e o gasoduto de Turk Stream. Moscou e Ancara assinaram em 2010 um acordo para a construção de uma usina na Turquia. Segundo a companhia de energia nuclear russa Rosatom, o início da exploração do primeiro reator de Akkuyu está previsto para abril de 2023. Já o projeto Turk Stream, cujo acordo já foi ratificado pelos parlamentos dos dois países, prevê a construção de um gasoduto para transportar combustível através do Mar Negro até a fronteira da Turquia com a Grécia, onde seria criado um centro de distribuição para os países da União Europeia. EK/ap/dpa/efe/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos