Fachin recebe pedidos de Janot para investigar políticos

Lista contém 83 solicitações de abertura de inquérito contra ministros e parlamentares citados em delações da Odebrecht. Sem prazo, relator da Lava Jato no STF deve decidir se autoriza início das investigações.O ministro Luiz Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), recebeu nesta terça-feira (21/03) os 83 pedidos de abertura de inquérito contra políticos citados nas delações da Odebrecht. A lista foi enviada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A partir de agora, Fachin tem a missão de decidir se autoriza ou não o início das investigações. Ele também deve avaliar a quebra do sigilo de partes das delações, conforme solicitado por Janot a fim de garantir a transparência dos processos. Não há prazo determinado para ele tomar tais decisões. Leia também: Nova lista de Janot é teste para Temer Os pedidos foram encaminhados por Janot na semana passada, mas antes de chegarem nas mãos de Fachin passaram por um processo de catalogação e digitalização na Secretaria Judiciária do Supremo Tribunal Federal. Os documentos ficaram guardados na sala-cofre da corte. Ao todo, a Procuradoria-Geral da República (PGR) fez 320 pedidos ao Supremo. Além das 83 solicitações de inquérito, há 211 desmembramentos das investigações para a primeira instância, que envolvem citados sem foro privilegiado, sete arquivamentos e 19 pedidos cautelares de providências. A chamada segunda "lista de Janot" foi baseada em cerca de 950 depoimentos de 77 ex-executivos e funcionários da Odebrecht. As delações da empreiteira foram homologadas em janeiro pela ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, após a morte do relator, Teori Zavascki, em acidente aéreo. As investigações da força-tarefa de procuradores da Lava Jato revelaram que a Odebrecht mantinha dentro de seu organograma um departamento oculto destinado somente ao pagamento de propinas. Esse departamento continha funcionários dedicados exclusivamente a processar os pagamentos. Apesar do sigilo, a imprensa brasileira vem especulando sobre os nomes dos políticos citados pelos delatores da empreiteira. Ministros do governo de Michel Temer, senadores e deputados federais em exercício, bem como ex-presidentes da República estariam entre as figuras da "lista de Janot". EK/abr/efe/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos