Dia da Mentira em tempos de "fake news"

Carsten Grün (lpf)

Na era das notícias falsas, jornais abrem mão de pregar peças no dia 1º de abril. Problema atual é que fatos que antes pareciam inconcebíveis hoje muitas vezes são reais, aponta sociólogo.No Brasil, 1º de abril é o Dia da Mentira. Nos Estados Unidos, a data é chamada de "April Fools Day". Em países como França ou Suíça é comum nesse dia prender um peixe de papel nas costas de um amigo sem que ele se dê conta. Na Alemanha, também se costuma enganar ou pregar uma peça nas pessoas com a chamada "aprilscherz" (piada de abril). É costume na mídia alemã e de outros países noticiar histórias falsas na edição de 1º de abril. No Reino Unido, a emissora BBC causou furor em 1957 com uma suposta colheita de espaguete. Graças ao inverno ameno, agricultores suíços teriam obtido uma farta safra do macarrão. Um vídeo os mostra colhendo espaguete em árvores. Passados 60 anos, as imagens ainda fazem sucesso no Youtube. Ultimamente, no entanto, alguns veículos decidiram abrir mão das brincadeiras do dia 1º de abril. O grupo midiático Funke, de Berlim, ao qual pertencem jornais como o Hamburger Abendblatt e o Berliner Morgenpost, não planejou nada para este ano. O subeditor-chefe do grupo, Marc Hippler, diz que a tendência de abdicar das histórias falsas começou bem antes do surgimento do fenômeno das "fake news" (notícias falas). Segundo ele, hoje a prática é mantida sobretudo por empresas e pela publicidade. Piada em tempos tristes A gigante de móveis sueca Ikea, por exemplo, oferece neste ano um aconselhamento para casais em todas as suas 51 lojas na Alemanha. Os terapeutas teriam experiência de longa data. Quem não notar que se trata de uma brincadeira, receberá uma mensagem "abril, abril" ao clicar no formulário de solicitação de aconselhamento no site da Ikea. Aparentemente, a brincadeira de 1º de abril tem um bom motivo. "Quem nunca viveu na própria pele a discordância entre um casal durante as compras?", questiona Seven Kleuter, responsável por relações públicas da Ikea na Alemanha. Para ele, brincadeiras do tipo são importantes. "Justamente em tempos tristes, com muitas notícias ruins, é bom fazer piada." Origens e atualidade As origens das brincadeiras de 1º de abril na Alemanha não são claras. No século 17, os bávaros teriam tido a ideia, e migrantes da região teriam levado o costume para a América. Outra explicação remonta à Antiguidade, quando se via o 1º de abril como dia de má sorte, pois o apóstolo Judas teria morrido nessa data. Uma piada deveria tornar o dia mais positivo. Hoje, estudiosos se debruçam sobre o tema. "Vivemos atualmente numa constante piada de 1º de abril", diz o sociólogo Georg Kamphausen, de Bayreuth. Antigamente, se associava o costume à ingenuidade. "Hoje se trata de testar alguém que se considera uma pessoa esclarecida", diz. Kamphausen aponta que o problema atualmente é que quase tudo parece concebível, e as pessoas são constantemente expostas a notícias que antes pareciam inacreditáveis, mas hoje algumas são verdadeiras. Um exemplo simples: o fato de algumas viagens de avião custarem somente alguns poucos euros. "O espectro do que é possível e plausível aumentou muito", conclui o sociólogo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos