Milhares se manifestam em defesa de universidade na Hungria

Manifestantes em Budapeste protestam contra projeto de lei que visa minar instituições de ensino estrangeiras. Claro alvo é universidade fundada pelo bilionário George Soros, inimigo ideológico do premiê Viktor Orbán.Mais de 10 mil marcharam neste domingo (02/04), pelas ruas da capital da Hungria, em apoio à Universidade Centro-Europeia (CEU), fundada e financiada pelo bilionário George Soros em 1991. O governo húngaro pretende legislar contra as instituições de ensino não europeias. Estudantes, ex-alunos, funcionários e apoiadores da universidade se juntaram à multidão que protestou em favor da liberdade no ensino. A CEU é registrada nos EUA e alega ser o alvo direto de um projeto de lei apresentado pelo governo do premiê húngaro, Viktor Orbán, na semana passada. O projeto prevê que as universidades de países não europeus sejam proibidas de conceder diplomas húngaros sem um acordo entre os governos nacionais. O governo em Budapeste pretende também banir as universidades cujos currículos sejam diferentes daqueles dos países de origem e alega que a de Soros tem uma "vantagem injusta", por poder emitir tanto diplomas húngaros quanto norte-americanos. Instituições como a CEU também seriam obrigadas a ter operações em seus países de origem. Classificada entre as 50 melhores universidades do mundo para ciências políticas e estudos internacionais, a Universidade Centro-Europeia atualmente conta mais de 1.400 estudantes de 108 nacionalidades. De todas as 28 instituições estrangeiras do país, ela é a única que não preenche todos os requisitos previstos no projeto de lei. O futuro da CEU, que não tem campus nos Estados Unidos, agora "depende de conversações entre os governos de Hungria e EUA", afirmou Orbán na sexta-feira. O primeiro-ministro considera Soros um inimigo ideológico cujo ideal de "sociedade aberta" contrasta com seus esforços de transformar a Hungria no que ele uma vez chamou de "Estado iliberal". Nascido na Hungria, George Soros se tornou um adversário para o premiê húngaro e outros líderes da Europa Central e dos Bálcãs que o acusam de interferir nos assuntos de seus países através das organizações que financia. Curiosamente, o próprio Orbán se beneficiou das atividades filantrópicas de Soros, quando foi estudar na Universidade de Oxford, em 1989, com uma bolsa financiada pelo bilionário Soros. O Departamento de Estado dos EUA se pronunciou contra medidas legislativas que possam comprometer o funcionamento da universidade ou sua independência. "Exigimos que o governo da Hungria evite tomar qualquer ação legislativa que comprometa as operações ou a independência da CEU", diz a nota. PV/lusa/afp/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos