Embate entre Macron e Le Pen marca debate na França

Segundo debate televisivo reúne os onze candidatos à presidência e foca em temas econômicos. Os dois principais adversários centralizam novamente a discussão.O segundo debate televisivo entre os candidatos à presidência da França foi marcado nesta terça-feira (04/04) pelo embate entre os líderes das pesquisas de intenção de voto: a populista de direita Marine Le Pen e o ex-ministro da Economia e dissidente do Partido Socialista Emmanuel Macron. Durante três horas, o debate, que reuniu pela primeira vez os onze candidatos, abordou os temas criação de empregos, proteção aos franceses e modelo social do país. Ao serem questionados como pretendem criar empregos no país, cuja taxa de desemprego está estagnada em 10% há anos, Macron e Le Pen defenderam políticas opostas. O candidato independente promoveu uma visão pró-europeia, além de prometer cortar impostos sobre negócios e flexibilizar as leis trabalhistas. "Quero recorrer ao otimismo francês. Precisamos investir para colocar a máquina para funcionar novamente", afirmou Macron. Le Pen, que deseja a saída da França da União Europeia, defendeu a criação de um imposto para empresas que contratarem trabalhadores estrangeiros. "Sem um protecionismo inteligente, vamos ver esses empregos sendo destruídos um após o outro", disse. "Você não se apresenta como novo ao usar ideias de 50 anos", acrescentou Le Pen, em ataque ao ex-ministro. "Desculpe por te contar, mas é você que está usando mentiras que ouviu há 40 anos da boca de seu pai", respondeu Macron, se referindo a Jean-Marie Le Pen, ex-líder da Frente Nacional, que foi condenado por racismo e antisemitismo. "Nacionalismo é guerra. Eu sei, venho de uma região cheia de cemitérios", acrescentou Macron. O candidato nasceu na região de Somme, que foi palco de um dos combates mais sangrentos da Primeira Guerra Mundial. Os dois candidatos também discordaram sobre a proteção de mercados franceses na União Europeia. Le Pen defendeu a criação de um imposto de importação e foi contestada por Macron, que alegou que a medida iria apenas criar barreiras para as exportações agrícolas francesas em mercados internacionais. Acusações de corrupção Len Pen e o candidato conservador, François Fillon, aproveitaram o debate para se defender das acusações de corrupção que enfrentam. Fillon é investigado por desvio de recursos públicos, suspeito de ter criado empregos fictícios de assistente parlamentar para sua esposa e filhos. Já Le Pen é acusada pela mesma prática, porém, no Parlamento Europeu. A candidata populista alegou estar sendo perseguida politicamente. Fillon disse que tem o direito à presunção da inocência. A apenas 19 dias da eleição, o debate deu a chance a todos os candidatos de conquistar eleitores indecisos e tentar diminuir a diferença nas pesquisas de intenção de voto. As eleições estão marcadas para 23 de abril. A corrida eleitoral, porém, deve ser decidida num segundo turno marcado para 7 de maio. Pesquisas recentes mostram uma disputa acirrada entre Macron e Le Pen, com cada um deles com 25% dos votos. No segundo turno, porém, há uma ampla vantagem do candidato independente sobre a populista de direita. CN/rtr/ap/afp/lusa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos