Tentativa de atentado a líder militar somali deixa mortos

Explosão suicida em meio a comboio do Exército é reivindicada por grupo militante islâmico, ligado à Al-Qaeda e que visa fundar Estado próprio na Somália. Maioria das vítimas é civil.Pelo menos 15 pessoas morreram neste domingo (09/04) na capital da Somália, Mogadíscio, em consequência de uma explosão num comboio que levava o novo chefe do Estado Maior do Exército somali, Mohamed Ahmed Jimale, entre outros líderes militares. Provável alvo do atentado, ele escapou com vida, pois viajava num veículo blindado. O ataque suicida aconteceu nas proximidades do complexo sede do Ministério da Defesa somali. Segundo testemunhas, as vítimas eram, em sua maioria, civis, mas também morreram soldados e polícias, além do guarda-costas de Jimale. Cerca de 20 pessoas ficaram feridas. As autoridades locais advertiram que o saldo de mortos poderá subir, pois a detonação também atingiu um miniônibus lotado. A milícia islâmica Al-Shabab reivindicou o atentado em sua rádio Andalus. O grupo, que integra a rede internacional Al-Qaeda desde 2012, pretende instaurar um Estado próprio na Somália e regularmente realiza atentados contra civis, policiais, representantes do Governo e militares. O novo ato terrorista ocorre dias depois de o presidente Mohamed Abdullahi Mohamed Farmajo ter anunciado uma investida militar contra a Al-Shabab, que já controla parte do território no centro e sul do país. A Somália vive em estado de guerra e caos desde 1991, quando o ditador Mohamed Siad Barre foi deposto do poder. AV/efe,ap,rtr,dpa

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos