Republicanos dão primeiro passo para abolir Obamacare

Em vitória legislativa para Trump, Câmara dos Representantes aprova projeto de lei que visa desmantelar maior legado em política interna de Obama e instalar sistema de saúde com o selo republicano.A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira (04/05), por margem estreita, um projeto de lei para desmantelar o Obamacare e substituí-lo por um sistema de saúde proposto pelos republicanos. Essa é a maioria vitória legislativa de Donald Trump desde que ele assumiu a presidência, em janeiro, e teve como um dos pilares de sua campanha desfazer o principal legado em política interna de seu antecessor, Barack Obama. Por 217 votos a favor e 213 contra, os republicanos conquistaram a maioria apertada para que o projeto passasse na Câmara e seja enviado para o Senado, onde certamente sofrerá alterações. Nenhuma democrata apoiou a mudança. O fim do Obamacare era uma das promessas de campanha de Trump. A mudança aprovada pela Câmara dos Representantes diminui o papel do governo em ajudar os cidadãos a arcar com os custos dos planos de saúde e poderá deixar muitos americanos sem assistência médica. A proposta aprovada acaba com as multas estabelecidas na reforma de Obama para pessoas que optassem por não possuir um plano de saúde e também elimina taxas cobradas para quem possuía renda elevada e para a indústria de saúde. A nova legislação prevê ainda cortes no programa Medicaid, estabelecido pelo Obamacare, que possibilitou o acesso à assistência médica a mais de 11 milhões de pessoas de baixa renda. O projeto transforma também o subsídio para a obtenção de planos de saúde criado na reforma anterior num sistema de créditos fiscais. A aprovação das medidas, empacotadas sob o nome Lei Americana de Assistência Médica, depende agora do Senado, onde a lei terá dificuldade de conseguir o apoio dos senadores republicanos e deve se tornar mais moderada. O Obamacare possibilitou o acesso à saúde a cerca de 20 milhões de americanos. Os republicanos, porém, alegam que a reforma aumentou os gastos com saúde de pública e que o projeto de Obama era um excesso por parte do governo. Os republicanos argumentam ainda que o sistema atual não permite que os cidadãos escolham um plano de saúde entre várias opções, os forçando a optar pelas ofertas do governo, além de obrigar as empresas a complementar a cobertura de seus funcionários. A batalha na Câmara era importante para Trump. Os republicanos controlam as duas Casas do Congresso, e um fracasso prejudicaria o governo, que quer seguir em frente e tratar de outras iniciativas legislativas complexas. Horas antes da votação, segundo o site Politico, Trump estava ligando pessoalmente para deputados republicanos em busca de votos favoráveis ao projeto de lei. CN/rtr/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos