1964: Renúncia de Sepp Herberger, lendário treinador da seleção alemã

Detmer / rw

Em 12 de maio de 1964, Sepp Herberger renunciava ao cargo de treinador da seleção alemã. O lendário técnico ocupava o posto desde 1949. Seu auge foi a conquista da Copa do Mundo de 1954.De origem humilde, Josef (Sepp) Herberger nasceu em Mannheim em 28 de março de 1897. O pai, operário de fábrica, faleceu quando ele tinha 13 anos, em consequência de uma gripe. Para ajudar no sustento da família, Sepp interrompeu os estudos e começou a trabalhar inicialmente como auxiliar de pedreiro e depois como operário. O futebol foi a válvula de escape na dura rotina da fábrica. A força de vontade e talento o destacaram em campo. Entre 1921 e 1925, foi convocado três vezes à seleção nacional e, graças aos seus dribles e à competência de goleador, em pouco tempo conseguiu a ascensão social. Em 1926, foi convocado pelo Tênis Borussia Berlim e começou o curso de Educação Física, que concluiu como o melhor da turma em 1932. Neste mesmo ano, ganhou a vaga de treinador no time berlinense. Contato com jogadores durante a guerra O fracasso da seleção alemã de futebol nos Jogos Olímpicos de 1936 levou à contratação de Herberger pelo regime nazista para a reorganização da equipe nacional. Dos 11 jogos que disputou em 1937, a Alemanha venceu dez. Um ano depois, unificada com a Áustria numa "grande equipe alemã", a Alemanha não conseguiu chegar às últimas rodadas da Copa do Mundo da França. Depois, mesmo durante a guerra, Herberger manteve contato com os jogadores. A partir de 1945, voltou a se empenhar pelo esporte, lutando pela construção da hoje renomada Escola Superior de Educação Física de Colônia, onde também foi professor. Em 1949, voltou a ser chamado para treinar a seleção, que cinco anos mais tarde conquistou a Copa do Mundo em Berna, na Suíça, numa partida em que demonstrou todo seu talento tático. Nas classificatórias, contra o forte time da Hungria, Sepp havia colocado os reservas em campo, o que resultou na catastrófica derrota alemã por 8 a 3. Mas, na final, os húngaros exageraram na autoconfiança e os alemães triunfaram com 3 a 2. Sepp Herberger, ídolo indiscutível, foi um grande perito e estrategista do futebol alemão. Até sua renúncia, em 1964, comandou 167 jogos da seleção, dos quais venceu 94 e perdeu 46. Ele mesmo garantia que ninguém mais na Alemanha entendia de futebol tão bem quanto ele. Herberger, condecorado com várias distinções esportivas nacionais, foi inclusive motivo de um selo, por ocasião de seus 80 anos, em 1977. Neste mesmo ano, ele faleceu em Mannheim, a 28 de abril.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos