Alemanha encontra mais memorabilia nazista em quartéis

Após ordem de vasculhar casernas militares no país, investigadores acham ao menos 41 objetos de recordação do regime nazista, alimentando escândalo que envolve simpatizantes de extrema direita na Bundeswehr.Investigadores que apuram a presença de simpatizantes da extrema direita na Bundeswehr (Forças Armadas da Alemanha) encontraram 41 itens de recordação nazista durante buscas nos quartéis do país, informou nesta quarta-feira (17/05) a agência de notícias alemã DPA. Segundo fontes do Ministério de Defesa alemão ouvidas pelo veículo, os objetos incluem moedas e decorações de parede com as insígnias da Wehrmacht, as forças militares do antigo regime nazista. Uma busca por memorabilia nazista foi ordenada em todos os quartéis do país no início deste mês, depois de investigadores terem descoberto um quarto num quartel em Donaueschingen, no sudoeste alemão, decorado com objetos similares, incluindo capacetes e fotos de soldados nazistas. Os itens não foram considerados "de relevância criminal", como afirmou um porta-voz militar na ocasião. O impacto, por outro lado, é mais relevante para a imagem das Forças Armadas alemãs. No final de abril, um militar da Bundeswehr foi preso sob acusação de planejar ataques terroristas no próprio país. A suspeita é de que ele teria como alvo uma série de políticos alemães pró-imigração, incluindo o ex-presidente Joachim Gauck e o atual ministro da Justiça, Heiko Maas. Investigadores também encontraram objetos nazistas no alojamento deste oficial, num quartel na cidade francesa de Illkirch. Ele foi identificado como o primeiro-tenente Franco A., de 28 anos. O caso é apenas um entre pelo menos 280 suspeitas de envolvimento de militares com o extremismo de direita na Alemanha, que estão sob investigação por parte da inteligência da Bundeswehr. Dezoito militares já foram expulsos das Forças Armadas. Os recentes escândalos também levaram a ministra alemã da Defesa, Ursula von der Leyen, a ordenar a retirada de qualquer memorabilia nazista de todos os quartéis da Alemanha. Ela também solicitou a revisão do chamado "Decreto da Tradição" da Bundeswehr, que desde 1982 regulamenta que tradições que o Exército deve ou não cultivar. Nesta quarta-feira, durante audiência no Parlamento alemão, Leyen declarou que novos nomes devem ser encontrados para quartéis ainda nomeados em homenagem a figuras da Segunda Guerra. Em uma visita ao quartel de Illkirch, na semana passada, a ministra ressaltou que o exército moderno da Alemanha não tolera qualquer veneração às tradições e costumes da Wehrmacht nazista. Esse sentimento foi ecoado pelo ministro da Justiça alemão, Heiko Maas, que declarou que "quem glorifica a Wehrmacht não tem lugar algum na Bundeswehr". EK/afp/dpa/dw

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos