O Brasil na imprensa alemã

Mídia destacou o anúncio de Lula de que se candidatará de novo à Presidência, feito no dia do seu depoimento a Moro. Suspensão do estado de emergência nacional devido ao zika também foi notícia.Der Spiegel – Lula planeja retorno político, 11.05.2017 "Durante cinco horas, Luiz Inácio Lula da Silva depôs em tribunal. O ex-presidente do Brasil negou todas as acusações de corrupção contra ele. Em vez disso, partiu para a ofensiva. Depois de deixar a audiência, em Curitiba, no sul do Brasil, o político, de 71 anos, disse diante de milhares de seguidores: 'Estou me preparando para voltar a ser candidato à Presidência deste país, e nunca tive tanta vontade como agora.' Um ano atrás, em 12 de maio de 2016, a sucessora dele, Dilma Rousseff, foi afastada do cargo em circunstâncias questionáveis, acabando, assim, com o projeto de governo de esquerda iniciado por Lula em 2000. Por isso, ele se empenha em um retorno ao poder. Também Rousseff esteva em Curitiba para apoiar Lula. Há meses, há sempre novas acusações e processos contra ele, que é acusado de ter sido favorecido por uma empreiteira, ganhando dela um imóvel na orla, e também de ser uma espécie de chefe supremo do esquema de corrupção envolvendo concessão de contratos da empresa petrolífera estatal Petrobras." Die Zeit - Ex-presidente do Brasil quer se candidatar novamente, 11.05.2017 "O ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva quer ser novamente candidato à Presidência do próximo ano, [...] disse, diante de milhares de seguidores na cidade brasileira de Curitiba, onde havia sido interrogado durante cinco horas a respeito de acusações de corrupção contra ele. O político, de 71 anos, afirmou que as alegações eram infundadas. 'Eu pensei que meus acusadores iriam mostrar alguma prova. Mas eles não tinham nada', disse Lula. 'Eu não quero ser condenado com base em interpretações.' Lula falou na presença da presidente afastada exatamente um ano atrás, Dilma Rousseff. Ambos querem ajudar seu Partido dos Trabalhadores a retornar ao poder na eleição de 2018. Se Lula, atualmente o favorito segundo pesquisas, poderá se candidatar, vai depender do resultado das investigações sobre corrupção." Frankfurter Allgemeine Zeitung – Rumo ao palácio em vez da prisão, 12.05.2017 "Pode ser que Lula esteja em liberdade no dia da eleição em outubro de 2018. Mas também pode ser que ele já esteja na prisão, condenado pelo juiz Moro. O processo no qual Lula teve agora que testemunhar pela primeira vez, é apenas um dos cinco em que o ex-presidente e homem forte do Partido dos Trabalhadores (PT) tem que responder sobre alegações de corrupção e benefícios pessoais. Neste caso específico, se trata de um apartamento de luxo na cidade costeira de Guarujá, assim como outro imóvel de férias em Atibaia, no interior de São Paulo, no valor total equivalente a cerca de um milhão de euros. As propriedades foram dadas de presente a Lula e reformadas, na convicção da acusação, em troca de grandes contratos obtidos pela construtora OAS da empresa petrolífera estatal Petrobras. Em outros processos, Lula é acusado de ter sido algo como o mandante do gigantesco sistema de corrupção na Petrobras: sistematicamente, as maiores empresas de construção no país, sobretudo a líder do setor, a Odebrecht, pagaram subornos no valor de bilhões, a políticos de todos os partidos relevantes, para adquirirem grandes contratos para construção de refinarias, plataformas de perfuração e plantas petroquímicas." ZDF - Brasil acaba estado de emergência para zika, 12.05.2017 "Após 18 meses, o Brasil suspendeu o estado de emergência por causa da doença infecciosa zika. Isso, entretanto, não significa o fim do acompanhamento de casos conhecidos ou de assistência às famílias afetadas, segundo o Ministério da Saúde. A autoridade e outras organizações mantiveram suas políticas para combater o zika, a dengue e a febre chikungunya. Todas as três doenças são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Em novembro, a Organização Mundial de Saúde suspendeu seu estado de emergência internacional por causa do zika. Ao mesmo tempo, a entidade afirmou que a doença continua a ser uma ameaça." Die Zeit – Brasil suspende estado de emergência, 12.05.2017 "O Brasil declarou o fim do estado de emergência nacional por causa da doença infecciosa zika, após 18 meses. De janeiro a meados de abril, houve apenas 7.911 novas infecções do zika, afirmou o Ministério da Saúde brasileiro. No mesmo período do ano passado, houve mais de 170 mil casos. Portanto, o número de infecções caiu cerca de 95%. Também o número de malformações em recém-nascidos após uma infecção das mães com o zika caiu para um valor mínimo." MD/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos