EUA aumentam rigidez na concessão de vistos

Novo questionário pede informações sobre as atividades nas redes sociais e dados biográficos sobre os últimos 15 anos, podendo ocasionar atrasos ou até impedir processamento dos pedidos.O governo dos Estados Unidos revelou nesta quinta-feira (01/06) o conteúdo de um novo questionário voltado aos requerentes de vistos de entrada no país, que pede informações sobre atividades em redes sociais nos últimos cinco anos e exige informações biográficas de até 15 anos antes do pedido de visto. O novo questionário é parte dos esforços para exercer um controle mais rígido sobre os potenciais visitantes aos EUA. As perguntas foram aprovadas no dia 23 de maio, apesar das críticas feitas por entidades acadêmicas e autoridades de educação no país durante o período de consulta popular. Os críticos argumentam que o novo questionário será demasiadamente trabalhoso, ocasionando longos atrasos no processamento dos pedidos de visto e desencorajando a ida de estudantes e cientistas estrangeiros aos EUA. De acordo com as novas diretrizes, os funcionários das representações diplomáticas podem exigir todos os números de passaportes anteriores dos requerentes, dados sobre suas atividades nas redes sociais e informações sobre endereços anteriores, histórico de empregos e de viagens. Os dados poderão ser exigidos quando os funcionários entenderem que "tais informações são necessárias para confirmar a identidade ou conduzir avaliações mais rigorosas", segundo informou um membro do Departamento de Estado. De acordo o órgão, essas averiguações se aplicam, aos requerentes que necessitarem de medidas adicionais de avaliação, caso haja "conexão com terrorismo ou outras inelegibilidades de visto relacionadas à segurança". O presidente americano, Donald Trump, tentou implementar uma proibição temporária de vistos a cidadãos de seis países de maioria muçulmana, mas a medida foi bloqueada por uma série de decisões na Justiça americana. O Departamento de Administração e Orçamento concedeu aprovação de emergência ao novo questionário que será válida por seis meses, ao invés do prazo habitual de três anos. Apesar da não obrigatoriedade, as falhas em fornecer as informações requeridas poderão acarretar em atrasos ou até impedir o processamento de vistos individuais. Juristas especializados em questões de imigração dizem que o pedido de informações detalhadas de um período de 15 anos, ou a expectativa de que os requerentes estejam cientes de seu histórico nas redes sociais, deverá trazer complicações para os que cometeram pequenos deslizes ou simplesmente não se lembram de todas as informações exigidas. RC/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos