Trump lança ataques contra prefeito de Londres após atentado

Presidente americano critica britânico que pediu calma após ação terrorista que deixou sete mortos e aproveita episódio para defender sua políticasEnquanto Londres ainda se recuperava do atentado terrorista que deixou sete mortos e mais de 40 feridos no último sábado (3/6), o presidente dos EUA, Donald Trump, aproveitou o episódio para lançar ataques ao prefeito da capital britânica. Após usar a sua conta no Twitter para inicialmente expressar solidariedade aos britânicos, Trump passou reclamar do "politicamente correto", do controle de armas e ainda defendeu o seu controverso bloqueio de viajantes de países islâmicos. Os ataques também passaram a mirar no prefeito Sadiq Khan, que pediu calma para a população de Londres na esteira do atentado. "Pelo menos 7 mortos e 48 feridos em ataques terroristas e o prefeito de Londres diz que 'não há motivos para ficar alarmado", tuitou Trump no domingo. "Nós precisamos parar de sermos politicamente corretos e ir direto ao ponto da segurança de nossos povos. Se não ficarmos espertos, só vai piorar", disse Trump. Em resposta, um porta-voz do prefeito de Londres disse também no domingo que Khan "está trabalhando com a polícia, os serviços de emergência e o governo para coordenar a resposta a esse horrível e covarde ataque terrorista". "Ele tem coisas mais importantes a fazer do que responder ao tuíte mal informado de Donald Trump, que deliberadamente tira de contexto suas observações pedindo que os londrinos não fiquem alarmados quando virem mais policiais - incluindo oficiais armados - nas ruas", disse o porta-voz. Nesta segunda-feira, Trump respondeu à declaração do porta-voz, renovando seus ataques. "Desculpa patética do prefeito de Londres, Sadiq Khan, que teve que pensar rápido para responder que "não há razão para alarme". A mídia tradicional está trabalhando duro para vender essa versão". Twitter Pouco depois do atentado, Trump já havia aproveitado o episódio para defender suas políticas. "Nós temos que ser espertos, vigilantes e fortes. Nós precisamos que os tribunais nos devolvam nossos direitos. Nós precisamos de um banimento de viagens como um adicional de segurança", escreveu o presidente, que no início do ano tentou proibir o ingresso nos EUA de cidadãos de sete países de maioria muçulmana. A ordem acabou sendo derrubada pela Justiça americana. Nesta segunda-feira, ele voltou a publicar declarações defendendo o veto. Também no domingo, o presidente disse que "notaram que não estamos tendo um debate sobre armas agora?". "Isso porque os terroristas usaram facas e um caminhão". "Nós devemos parar de ser politicamente corretos e nos concentrarmos no assunto da segurança para o nosso povo", escreveu Trump no domingo de manhã. "Se não formos inteligentes, só vai piorar." Reações O ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore, falando ao programa State of the Union, da CNN, disse que achou que o tuíte de Trump deturpou o que o prefeito disse. "Eu não acho que um enorme ataque terrorista como esse é o momento para ser divisivo e criticar um prefeito que está tentando organizar a resposta de sua cidade a este ataque", disse o democrata Gore. O senador Mark Warner, democrata e vice-presidente do Comitê de Inteligência do Senado, disse à CNN que o "perturba" ver esse tipo de controvérsia após um atentado terrorista. JPS/rt

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos