Atirador mata funcionários de loja em São Francisco

Homem abre fogo em unidade da UPS, deixa ao menos três mortos e se mata em seguida. Empresa de envio de encomendas diz que agressor era um de seus motoristas. Polícia ainda investiga motivação, mas descarta terrorismo.Ao menos três pessoas morreram e duas ficaram feridas nesta quarta-feira (14/06) depois de um atirador abrir fogo em uma unidade do serviço de entregas UPS em São Francisco, nos Estados Unidos. A empresa informou que o homem, que se matou em seguida, era um de seus funcionários. A polícia americana não identificou o atirador, mas o porta-voz da UPS, Steve Gaut, disse a agências de notícias que o agressor e as vítimas eram motoristas da companhia. As motivações do crime ainda não foram esclarecidas. Os policiais, no entanto, não acreditam se tratar de terrorismo. Segundo Gaut, o agressor realizou os disparos no momento em que os motoristas estavam reunidos no estabelecimento antes de seguirem para suas entregas, ainda durante a manhã no horário local, início da tarde no Brasil. Dois funcionários baleados foram levados a um hospital na região. Os demais trabalhadores daquela unidade, que emprega cerca de 350 pessoas, foram dispensados do serviço nesta quarta-feira, acrescentou o porta-voz da UPS. Em pronunciamento à imprensa, o chefe da polícia de São Francisco, Toney Chaplin, afirmou que o agressor atirou contra a própria cabeça quando foi confrontado pelos policiais. Ele chegou a ser levado para um hospital na cidade, mas não resistiu ao ferimento e morreu. Chaplin informou ainda que a polícia apreendeu duas armas de fogo dentro do estabelecimento, incluindo a pistola usada no crime. Testemunhas relataram forte presença policial nas imediações da unidade, com funcionários sendo escoltados para fora do edifício. Robert Kim, dono de uma loja de automóveis, disse ter visto um grupo de motoristas da UPS "correndo pela rua e gritando 'atirador, atirador'". Em mensagens no Twitter, o prefeito de São Francisco, Ed Lee, lamentou o incidente. "Ficamos sempre entristecidos com a perda de vidas para a violência armada. (...) Ofereço minhas condolências às pessoas e famílias afetadas por esse ato de violência sem sentido", escreveu o político. O incidente ocorreu no mesmo dia em que um atirador abriu fogo contra políticos republicanos durante um treino de beisebol amador em Alexandria, no estado americano da Virgínia. Cinco pessoas ficaram feridas, incluindo o deputado Steve Scalise, de Louisiana. O agressor, baleado durante a troca de tiros com a polícia, não resistiu aos ferimentos e morreu. EK/afp/rtr/ap/dpa/efe

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos