"Quero matar todos os muçulmanos", teria dito autor de ataque em Londres

Testemunhas relatam reação de agressor após atropelamento diante de mesquita. Imã teria agido para impedir que motorista que avançou com van contra fiéis fosse agredido. Autoridades reforçam segurança em templos do paísA polícia britânica disse que investiga como um ataque terrorista o avanço de uma van contra fiéis que saíam de uma mesquita em Londres na madrugada desta segunda-feira (19/06). O incidente resultou na morte de uma pessoa e deixou outras dez feridas. A Polícia Metropolitana de Londres prendeu o motorista, um homem de 48 anos que teria agido sozinho, sob suspeita de tentativa de assassinato. Testemunhas afirmam que após atingir um grupo de pessoas na saída da mesquita de Finsbury Park, ele saiu do veículo gritando: "Quero matar todos os muçulmanos!" Neil Basu, vice-comissário da Polícia Metropolitana, confirmou que todas as vítimas eram muçulmanas. O ataque, segundo afirmou, teria "todas as características de um incidente terrorista". Entre os feridos, oito foram levados para hospitais enquanto outros dois foram tratados no local. O imã da mesquita teria impedido que o motorista da van fosse agredido pelas pessoas no local. Segundo uma testemunha, o homem foi rapidamente agarrado e agredido após deixar o veículo, até que o imã Mohammed Mahmoud interveio. Basu agradeceu aos que detiveram o motorista da van no local após o incidente, até a chegada da polícia. "Sua sobriedade em meio às circunstâncias foi louvável", disse. O homem que morreu no incidente estava na calçada da Seven Sisters Road, próximo à mesquita, onde já recebia cuidados de primeiros socorros antes do atropelamento. Segundo testemunhas, ele teria sofrido um ataque cardíaco. Não está claro se sua morte ocorreu em razão do impacto com a van. Comunidade islâmica em alerta Mohammed Kozbar, líder da mesquita de Finsbury Park, condenou o que chamou de "ataque covarde, que em nada difere dos ataques terroristas em Manchester e Londres". "Nossa comunidade está em choque, nossos pensamentos e preces vão para os que foram afetados por isso", afirmou. O incidente ocorreu em pleno Ramadã, o mês sagrado dos muçulmanos. A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, disse que o governo enviou reforço policial adicional às mesquitas do país após o incidente, que ela considerou uma tentativa doentia de destruição da liberdade de religião. A mesquita de Finsbury Park, uma das maiores do Reino Unido, ganhou notoriedade há mais de uma década em razão dos sermões do clérigo radical Abu Hamza al-Masri, preso em 2005 pela polícia britânica. Em 2015, ele foi condenado à prisão perpétua nos Estados Unidos após ser condenado por acusações relacionadas ao terrorismo. Em fevereiro de 2005, um novo conselho administrativo assumiu a direção da mesquita. Desde então, segundo o portal de internet do templo, aumentou significativamente o comparecimento ao local de fiéis de diversas comunidades. Autoridades britânicas de segurança afirmam que os crimes de ódio direcionados a muçulmanos aumentaram quase cinco vezes após os recentes ataques terroristas ocorridos no país, atribuídos a islamistas radicais. Nos últimos três meses, diversas mesquitas do país relataram ataques contra fiéis e locais de oração. RC/ap/dpa/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos