Rainha Elizabeth 2ª enfatiza busca de consenso para Brexit

Em discurso na reabertura do Parlamento britânico, monarca apresenta programa legislativo para os próximos dois anos. Assegurar melhor acordo possível para saída do Reino Unido da UE é prioridade, afirma.A rainha Elizabeth 2ª abriu formalmente as sessões do novo Parlamento britânico nesta quarta-feira (21/06), afirmando que o governo está comprometido a buscar o "consenso mais amplo possível em relação ao futuro do país fora da União Europeia (UE)". Em discurso às duas câmaras do Parlamento, preparado por ministros e lido pela monarca, a rainha apresentou o programa legislativo elaborado pela primeira-ministra Theresa May para os próximos dois anos. Nele constam oito projetos de lei que têm como objetivo viabilizar a saída do país do bloco europeu, o chamado Brexit. Entre eles está a chamada "Grande Lei de Revogação", que anula as legislações da UE vigentes no país, como a que estabelece a adesão do Reino Unido ao bloco europeu, além de outros projetos de lei referentes ao comércio, imigração, alfândega, pesca e agricultura. "A prioridade do meu governo é assegurar o melhor acordo possível para a saída do país da UE", afirmou a rainha, num momento em que o gabinete de May vive fortes divergências sobre qual seria a melhor estratégia para o Brexit. O discurso da rainha ocorre em circunstâncias políticas incomuns, enquanto a primeira-ministra ainda tenta um acordo com o partido ultraconservador da Irlanda do Norte Unionista Democrático (DUP) para compor o novo governo. Antes do discurso, May declarou que, apesar de o resultado das eleições não ser aquele que ela esperava, o governo "responderá com humildade e determinação à mensagem enviada pelo eleitorado". Trump e príncipe Philip Chamou a atenção no discurso o fato de que a rainha, ao mencionar os próximos compromissos reais, não incluiu a visita do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. É habitual que a monarca mencione as visitas de Estado em seu discurso, como fez desta vez em relação ao rei Filipe, da Espanha, que deve viajar ao Reino Unido em julho. O fato de o presidente americano não ter sido mencionado faz com que se questione se a visita vai de fato ocorrer. Trump foi convidado pelo governo britânico e aceitou o convite, mas a data da visita ainda não foi acertada. Há forte oposição ao americano no Reino Unido em razão de suas politicas ambiental e migratória, entre outras questões. Uma porta-voz da primeira-ministra assegurou que o convite não foi anulado. "A visita não foi mencionada no discurso da rainha porque a data ainda não foi definida", afirmou. Também chamou atenção no discurso da monarca a ausência do marido, príncipe Philip, hospitalizado em razão de uma infecção. O Palácio de Buckingham informou que a internação foi apenas uma medida de precaução e que ele passa bem. RC/afp/ap/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos