Alemanices: Aula suspensa devido ao calor

Karina Gomes

Se as temperaturas excedem os 26 graus, escolas podem decidir enviar todos os alunos para casa. A regra do "Hitzefrei" também vale para o ambiente de trabalho. Empresas podem reduzir a carga horária ou adaptar a escala.Enquanto no Brasil todos "congelam" num frio de 15ºC, na Alemanha, as pessoas padecem com temperaturas acima dos 30ºC. Casas, restaurantes e ambientes de trabalho ficam quentinhos e aconchegantes com os aquecedores no inverno. Mas nos dias mais quentes do verão, não há ar condicionado que salve. Nem todos os locais dispõem de ventiladores ou climatizadores. A legislação alemã permite que escolas e empresas decretem o Hitzefrei (livre do calor, em tradução livre) e libere alunos e funcionários. A regra é válida quando as temperaturas no interior da sala de aula ultrapassam os 26 graus. A direção da escola pode decidir suspender as aulas e enviar todos os alunos para casa. Se os pais não conseguem encontrar alguém que possa ficar com a criança, é possível que eles sejam liberados do trabalho. Mas isso só acontece em último caso. O Hitzefrei é regulamentado de acordo com a lei de cada estado alemão. Na Baviera, a decisão cabe às escolas. Nenhum limiar de temperatura é estabelecido para que os alunos sejam liberados. No estado da Renânia do Norte-Vestfália, por exemplo, a medida vale apenas para alunos da Grundschule, equivalente no Brasil ao ensino fundamental. Caso algum aluno apresente mal estar ou qualquer outra complicação por causa do calor, pode ser liberado. O mesmo vale para o ambiente de trabalho, mas em geral as empresas procuram fazer adaptações, como reduzir a jornada de trabalho, em vez de liberar os funcionários do expediente. O Instituto Federal de Segurança e Medicina do Trabalho alemão recomenda que as empresas adaptem a escala permitindo que os funcionários realizem suas tarefas pela manhã, quando está mais fresco, ou no final da tarde, quando o sol já não está tão forte. Aumentar o número de pausas durante o expediente também é uma opção. Gestantes, mães que estão amamentando e funcionários que provem ter problemas de saúde devido ao calor podem tirar licença nos dias de calor extremo. Assim como nas escolas, a temperatura dentro das salas e escritórios não deve exceder os 26 graus. Segundo diretivas do trabalho, empresas precisam ter protetores nas janelas para bloquear a entrada de luz solar. Se mesmo assim o calor é tão insuportável que é quase impossível trabalhar, os funcionários precisam alertar a chefia ou o sindicato de trabalhadores. Todos ficam atentos ao termômetro. Na coluna Alemanices, publicada às sextas-feiras, Karina Gomes escreve crônicas sobre os hábitos alemães, com os quais ainda tenta se acostumar. A repórter da DW Brasil e DW África tem prêmios jornalísticos em direitos humanos e sustentabilidade e vive há três anos na Alemanha.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos