Merkel e Macron reforçam parceria franco-alemã em cúpula da UE

Em Bruxelas, Macron e Merkel sinalizam disposição para, juntos, encontrarem soluções para os problemas do bloco. Um ano após referendo sobre Brexit, líderes europeus divergem sobre termos da saída do Reino Unido.Em sua primeira cúpula da União Europeia (UE), o presidente francês, Emmanuel Macron, aproveitou a reunião para estreitar os laços com a Alemanha e, ao lado de Angela Merkel, ressaltou a intenção dos países de assumirem a liderança na recuperação do bloco após a saída do Reino Unido. "Quando França e Alemanha falam com uma única voz, a Europa pode avançar", afirmou Macron nesta sexta-feira (23/06) ao lado de Merkel, durante uma entrevista coletiva conjunta pouco usual ao fim de reuniões de cúpula da UE. Há exatamente um ano, o resultado do referendo sobre o Brexit chocou líderes europeus, e trouxe incerteza sobre o futuro do bloco. Com a vitória de Macron na França, diminuiriam os tremores de que outros países poderiam seguir o caminho britânico. "Esta coletiva de imprensa mostra que resolvemos encontrar juntos soluções para os problemas", destacou Merkel, após o presidente francês ter ressaltado que uma solução só é pertinente se assim o for para França e Alemanha. Macron afirmou ainda que, mais do que um símbolo político, a coletiva ao lado de Merkel revelava uma verdadeiro ética de trabalho. A dupla de líderes, apelidada de Emmangela ou Merkron, insistiu na unidade em diversas questões, incluindo os planos de aumentar a capacidade de defesa da União Europeia, na medida que o continente não pode mais depender do Reino Unido ou dos Estados Unidos, sob a presidência de Donald Trump. Ambos também ressaltaram a unidade na luta contra o aquecimento global e o terrorismo e em questões comerciais. Macron defendeu a abertura de mercados, mas com foco na reciprocidade. Merkel acrescentou que a Europa precisa responder se outros países tentarem impedir companhias europeias de participar de licitações públicas, em referência ao protecionismo de Trump. Brexit em foco A saída do Reino Unido da UE foi um dos temas mais importantes da cúpula de dois dias encerrada nesta sexta-feira. Apesar de prometer que europeus poderiam continuar no Reino Unido após a saída do bloco, a primeira-ministra britânica, Theresa May, admitiu nesta sexta-feira que houve divergências no encontro de líderes europeus quanto à garantia de direitos. Enquanto May disse ter feito uma proposta "justa e séria" para aos direitos dos cidadãos britânicos, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou que a proposta de May ficou abaixo das expectativas. Um dos pontos de divergência diz respeito à jurisdição de reclamações de europeus. Os 27 países-membros da União Europeia desejam que seus cidadãos possam acionar o Tribunal Europeu de Justiça para garantir seus direitos no Reino Unido, algo que May rejeita. O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, destacou que milhares de questões referentes aos direitos dos europeus permanecem em aberto. May disse que apresentará uma proposta mais detalhada sobre a questão na próxima segunda-feira e prometeu que o destino de europeus será prioridade nas negociações do Brexit. Além da saída do Reino Unido da UE, o crescimento do bloco, migração e comércio exterior foram temas discutidos pelos líderes durante a cúpula. Os países também se comprometeram a aumentar a cooperação no setor de defesa e segurança. CN/rtr/afp/ap

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos