CIA sabia de interferência russa a favor de Trump, diz jornal

Reportagem do The Washington Post aponta que agência avisou Obama sobre planos de Moscou ainda em agosto, mas Casa Branca hesitou em denunciar caso publicamente.A CIA, a agência de inteligência dos EUA, advertiu Barack Obama que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, ordenou pessoalmente uma operação para ajudar Donald Trump a ganhar as eleições presidências do país. A revelação foi feita pelo jornal The Washington Post, que apontou ainda que a agência informou em agosto de 2016 o então presidente americano sobre as intenções de Moscou. Suspeitas sobre um possível complô russo para hackear computadores do Partido Democrata e interferir nas eleições por meio da divulgação de boatos já haviam surgido em julho do ano passado, mas o governo americano só fez a primeira acusação pública contra o governo russo em outubro. Em janeiro deste ano, a Casa Branca finalmente acusou diretamente o presidente Putin de interferir no pleito com o objetivo de ajudar Trump e sabotar a candidata democrata, Hillary Clinton. Segundo o jornal, o governo Obama demorou semanas para denunciar o caso publicamente por medo de ser ele próprio acusado de tentar manipular o processo eleitoral. A Casa Branca também apostava que Hillary também seria capaz de ganhar mesmo com a interferência russa. Nos bastidores, Obama acabou montando uma força-tarefa em segredo e pediu que os serviços de inteligência obtivessem o máximo de informações e elaborassem uma lista de potenciais represálias contra a Rússia, como sanções econômicas e ataques cibernéticos. Obama também advertiu Putin pessoalmente durante um encontro com o russo na China, em setembro. Outras advertências também foram feitas antes que a Casa Branca agisse publicamente. No início de agosto, o diretor da CIA, John Brennan, entrou em contato com seu equivalente na Rússia, Alexander Bortnikov, da FSB, e repetiu a advertência de Obama. Foi só no final de dezembro, quando a Casa Branca já havia apontado publicamente o dedo para Moscou, que as primeiras medidas de retaliação foram executadas. Na ocasião, o governo ordenou a expulsão de 35 espiões russos e a imposição de sanções econômicas contra os serviços de inteligência russos. Na sexta-feira, Donald Trump comentou o caso. Ele perguntou por que seu Barack Obama não "fez nada" quando foi informado sobre os planos russos. "Acaba de sair: o governo de Obama soube muito antes do dia 8 de novembro (data das eleições presidenciais de 2016) sobre a interferência nas eleições feitas pela Rússia. E não fez nada a respeito. Por quê?", escreveu Trump, na sua conta no Twitter, aparentemente dando credibilidade para a história. Só que na quinta-feira, antes da publicação da reportagem, o próprio Trump havia dito que o caso dos ciberataques era uma "farsa promovida pelos democratas". JPS/ts

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos