Trump e Putin tiveram segunda conversa durante o G20

Encontro entre líderes de EUA e Rússia é confirmado pela Casa Branca, gerando especulações sobre conteúdo e motivo de não ter sido divulgado até agora. Trump afirma que "notícia falsa sobre jantar secreto é 'doente'$escape.getQuote().Os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, tiveram uma segunda conversa à margem da cúpula do G20 na Alemanha, no início de julho, confirmou a Casa Branca nesta terça-feira (18/07). O encontro ocorreu horas depois da primeira reunião entre os dois líderes, que durou duas horas. "Houve um jantar social reservado unicamente para casais [os chefes de governo e suas esposas] no G20. Perto do fim, o presidente Trump falou com Putin nesse jantar", disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, Michael Anton, à emissora CNN. "Não houve assessores nem membros do gabinete de nenhum dos dois países presentes", completou Anton, que disse não poder falar do conteúdo da reunião porque os dois líderes estavam praticamente a sós no jantar. A Casa Branca confirmou que apenas o tradutor de Putin participou do encontro, pois o tradutor americano não falava russo. No jantar, Trump sentou-se no lado oposto onde estava Putin na mesa e ao lado da esposa do primeiro-ministro do Japão. Durante o jantar, ele se levantou para ficar mais próximo do presidente russo e conversar com ele. Relação sob suspeita A confirmação oficial do encontro ocorreu pouco depois de o especialista em geopolítica Ian Bremmer, presidente do Eurasia Group, ter informado sobre essa segunda reunião pessoal entre Trump e Putin durante uma entrevista. O segundo encontro, que teria durado cerca de uma hora, gerou especulações sobre o teor da conversa e a razão pela qual ela não foi divulgada mais cedo. "Há um encontro de uma hora do qual ninguém tinha ouvido falar até agora. Está claro que não importa para Trump o que a imprensa tem a dizer sobre seu desejo de ter uma relação próxima e pessoal com o presidente russo", afirmou Bremmer em entrevista à emissora PBS e à agência de notícias Bloomberg. "Nunca, na minha experiência como cientista político, vi dois grandes países com uma constelação de interesses nacionais que são tão dissonantes e cujos líderes parecem fazer o máximo possível para se darem bem", completou Bremmer, que considerou que Putin é o presidente com o qual Trump tem a melhor relação pessoal. A ausência de um tradutor americano na conversa entre Trump e Putin chamou a atenção dos líderes presentes, afirmou Bremmer, que chamou a situação de "quebra do protocolo de segurança nacional". "Notícia falsa" Trump comentou a polêmica no Twitter. "Essa notícia falsa de jantar secreto é 'doente'. Todos os membros do G20 e seus cônjuges foram convidados pela chancelaria federal alemã. A imprensa sabia!", escreveu na noite de terça-feira. "Estas notícias falsas são cada vez mais desonestas. Até um jantar organizado para os 20 principais líderes mundiais na Alemanha vira algo sinistro", acrescentou em outro comentário. A Casa Branca também negou que haja algo de errado no encontro, que descreveu como um "breve encontro no fim do jantar". "A insinuação de que a Casa Branca tentou esconder um segundo encontro é falsa, maliciosa e absurda", disse um funcionário. A relação entre Trump e Putin é alvo de interesse em meio às denúncias de que o governo russo teria interferido na eleição presidencial americana de 2016, com o objetivo de favorecer o então candidato republicano. O Kremlin nega as acusações. AS/lusa/efe/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos