PUBLICIDADE
Topo

Tragédia no Texas: imigrantes morrem dentro de caminhão

23/07/2017 09h33

Num calor de 38 graus em San Francisco, sem água e ventilação, motorista deixa veículo por horas em estacionamento com quase 40 pessoas dentro: oito morrem e 20 são hospitalizadas em estado grave.Causou comoção nos Estados Unidos neste domingo (23/07) a notícia de que oito pessoas, provavelmente imigrantes que tentavam entrar no país ilegalmente, foram encontradas mortas dentro de um caminhão num estacionamento em San Antonio, Texas.O caso está sendo tratado como crime de tráfico humano. Ao todo, havia quase 40 pessoas no caminhão, 20 delas foram hospitalizadas em estado grave. Elas teriam feito a jornada sem ar condicionado, ventilação e água, num calor de 38 graus.O motorista do caminhão foi detido. A polícia contou que recebeu uma ligação de um funcionário de um supermercado dizendo que uma pessoa em um caminhão de carga estacionado em frente à loja se aproximou para pedir-lhe água."O funcionário voltou com a água, e chamou a polícia. Quando chegamos, encontramos oito pessoas mortas na parte traseira do veículo", disse o chefe da polícia de San Antonio, William McManus, em entrevista coletiva.O chefe de bombeiros de San Antonio, Charles Hood, disse na mesma coletiva de imprensa que o ar condicionado do veículo não funcionava e não havia água. "Estavam muito quentes ao tato", disse Hood sobre as vítimas.Segundo imagens de câmeras de segurança, o caminhão ficou horas estacionado, enquanto outros veículos chegavam e apanhavam aos poucos os passageiros, provavelmente para trabalhar no mercado ilegal. "Estamos investigado crime de tráfico humano", disse McManus. A maioria das vítimas tinha entre 20 e 30 anos, mas havia também duas crianças, de idade escolar. "Foi uma tragédia horrível", completou.Não é a primeira vez que um caso assim vem à tona nos EUA. Em 2003, 19 imigrantes morreram na traseira de um caminhão, também devido ao calor, enquanto eram transportadas do sul do Texas para a cidade de Houston. O motorista foi condenado a 34 anos de prisão.