Mulher confunde munição da Segunda Guerra com pedra preciosa em praia alemã

Turista escapou por pouco de ferimento após pedaço de fósforo branco entrar em combustão no bolso da sua jaqueta. Ela acreditou que material era uma peça de âmbarUma mulher de 41 anos escapou por pouco de ficar ferida na sexta-feira (04/08) após encontrar um pedaço de fósforo branco em uma praia de Wedel, nas margens do rio Elba, próximo de Hamburgo. Bombeiros foram chamados ao local depois que o material começar a queimar no bolso da sua jaqueta. As autoridades locais afirmam que a mulher acreditou que o material era uma pedra de âmbar – uma resina fóssil que pode ser encontrada em praias do norte da Europa que é usada em joias. Segundo a polícia local, a mulher caminhava pela praia quando notou uma pedrinha amarelada no chão. Ela então recolheu a pedra e depois a colocou no bolso da jaqueta, não percebendo que se tratava de um pedaço de fósforo branco, um material que foi bastante usado em munições e bombas durante a Segunda Guerra Mundial. Altamente inflamável, o fósforo branco tem que ser mantido húmido, do contrário começa a queimar em contato com o ar. A temperatura pode chegar a 1300°C. Depois de entrar em combustão nem mesmo a água é capaz de deter o processo. Minutos depois, o material começou a queimar a jaqueta, que havia sido deixada pela mulher em um banco. Outros turistas notaram que a roupas estava pegando fogo e alertaram a mulher. Bombeiros foram chamados e constataram que o material fazia parte de uma antiga bomba. Eles realizaram buscas na praia para localizar mais "falsas pedras preciosas", mas não encontraram nada. Alerta Depois do episódio, a polícia alemã aconselhou as pessoas que procuram por âmbar nas praias no país a usar recipientes especiais para armazenar pedras que foram inicialmente identificadas como pedras de âmbar. Não é a primeira vez que um incidente desses é registrado no país. Em 2014, um aposentado sofreu queimaduras ao colocar um pedaço de fósforo no bolso da sua calcca próximo da cidade portuária de Kiel. Ele também acreditou que se tratava de um pedaço de âmbar. Em 2012, duas mulheres sofreram queimaduras graves na ilha de Usedom ao tocarem o pedaço de uma antiga bomba que também foi confundida como sendo âmbar. Nos últimos 40 anos, mais de cem banhistas sofreram queimaduras graves dessa maneira. JPS/et

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos