PUBLICIDADE
Topo

Autoridades alemãs distribuem iodo por medo de desastre nuclear

31/08/2017 08h49

Medida preventiva visa proteger moradores de área na fronteira com a Bélgica, próxima a controversa usina nuclear. Inspeções recentes revelaram centenas de danos à estrutura de reator belga.O medo de um acidente nuclear é grande na região da cidade de Aachen, situada na fronteira alemã com a Bélgica e a Holanda. Nesta sexta-feira (01/09) será iniciada a distribuição preventiva de comprimidos de iodo de alta dosagem, que devem proteger a população contra o câncer da tireoide em caso de acidente na controversa usina nuclear belga de Tihange, localizada a cerca de 70 quilômetros de Aachen.Residentes do município de Aachen e de três distritos adjacentes podem solicitar os comprimidos via um portal online. A ingestão dos comprimidos tem como objetivo impedir que a tireoide absorva iodo radiativo, o que pode resultar num câncer.Grávidas, lactantes e pessoas com até 45 anos de idade têm direito aos comprimidos. A comissão de proteção contra radiação aconselha cidadãos com mais de 45 anos a não tomar os comprimidos – neste caso, o risco de efeitos colaterais é maior do que o risco de desenvolver câncer de tireoide posteriormente.Após o cadastro, os requerentes recebem um comprovante, com o qual retiram os comprimidos – até o fim de novembro – em farmácias autorizadas. Autoridades estimam que mais de um terço dos moradores da região irá adquirir os comprimidos.Sobre a região fronteiriça paira a dúvida de se, em caso de um acidente nuclear, haveria tempo suficiente para fornecer comprimidos de iodo à população. Há muitos cenários a serem avaliados: se o acidente ocorre durante o dia, durante a noite, durante período de férias, quão forte são os ventos, se está chovendo."Dependendo do cenário, temos muitas dúvidas de que possamos distribuir comprimidos de iodo a tempo", explicou Markus Kremer, coordenador da distribuição dos comprimidos em Aachen. Por isso, os governos locais de Aachen e o conselho regional pressionaram o governo estadual da Renânia do Norte-Vestfália a autorizar o fornecimento preventivo de comprimidos de iodo.A medida foi estimulada por preocupações quanto à segurança de reatores na usina nuclear de Tihange, na qual inspeções recentes revelaram fissuras na estrutura. Segundo a organização Nucléaire Stop, o órgão regulador nuclear belga encontrou um total de 3.219 indícios de danos no reator Tihange 2.No ano passado, a ministra do Meio Ambiente da Alemanha, Barbara Hendricks, pediu à Bélgica o fechamento dos dois reatores até que as questões de segurança fossem esclarecidas. No entanto, o pedido foi rejeitado pelo órgão regulador nuclear da Bélgica.Em toda a Alemanha, os comprimidos de iodo são armazenados centralmente e apenas liberados quando necessário. A medida visa, entre outros, evitar que os comprimidos sejam tomados cedo demais e, desta forma, perdem sua eficácia.PV/dpa/ots