Tribunal multa revista por fotos de topless de Kate Middleton

Justiça francesa determina que responsáveis por revista de celebridades que publicou imagens da esposa do príncipe William em momento íntimo paguem indenização e multas por invasão de privacidade.Um tribunal francês determinou nesta terça-feira (05/09) que a revista de celebridades francesa Closer pague 100 mil euros em multas e indenização ao príncipe britânico William e a sua esposa, Kate Middleton, devido a fotos publicadas em 2012 que mostram a duquesa de topless. O tribunal considerou as fotos invasão de privacidade. Além dos 100 mil euros a serem pagos pela revista e pelos dois fotógrafos responsáveis, a corte condenou a redatora-chefe da Closer, Laurence Pieau, e o então diretor da editora Mondadori, responsável pela revista, Ernesto Mauri. a pagarem multa de 45 mil euros, cada, o máximo previsto nesses casos. O valor total está bem abaixo do 1,5 milhão de euros de indenização pedido pelo casal. O advogado da revista, Paul-Albert Iweins, disse estar "satisfeito" com a decisão sobre as indenizações, mas que a multa foi "exagerada para um simples assunto privado". Já o advogado do casal real, Jean Veil, se recusou a comentar a sentença, acrescentando que o Palácio de Kensington fará uma declaração oficial. As fotos altamente granuladas de Kate Middleton, tomando banho de sol somente com a parte de baixo do biquíni, foram feitas de grande distância em setembro de 2012, quando ela passava férias no sul da França com o marido, o segundo da linha de sucessão ao trono britânico. O casal foi fotografado por lentes teleobjetivas relaxando à beira de uma piscina em uma luxuosa mansão, pertencente a David Linley, um sobrinho da rainha Elizabeth. A série de fotos foi publicada com comentários lascivos como "Oh meu Deus!", "Sexo e sol na Provence" e "Kate oferece seus seios aos ternos afagos do sol da Provence". A publicação desencadeou reação furiosa da família real no Reino Unido, onde vários jornais rejeitaram ofertas para comprar as fotos. Posteriormente, as imagens foram reproduzidas em várias outras publicações europeias, incluindo Chi, na Itália e Daily Star, da Irlanda. O casal – que anunciou na segunda-feira que espera um terceiro filho – apresentou queixa criminal por invasão de privacidade e obteve uma liminar impedindo que as imagens continuassem sendo reproduzidas. Em uma carta lida no tribunal, William disse que o caso lembra a caçada dos paparazzi de que fora vítima sua mãe, a princesa Diana, morta em um acidente de carro em Paris há 20 anos. MD/afp/ap/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos