Tribunal alemão condena três por não socorrerem idoso caído

Clientes de uma agência bancária em Essen terão que pagar multas de até 3.600 euros por ignorarem homem de 83 anos desmaiado no chão. Ele morreu dias depois no hospital. Acusados dizem que pensavam se tratar de sem-teto.Um tribunal em Essen, no oeste da Alemanha, condenou nesta segunda-feira (18/09) três pessoas ao pagamento de multas por deixarem de prestar assistência a um homem de 83 anos que havia desmaiado numa agência bancária da cidade. Ele morreu no hospital uma semana depois. O caso teve grande repercussão na Alemanha e abriu um debate sobre a falta de solidariedade na sociedade alemã. Os três condenados são uma mulher de 39 anos, que deverá pagar uma multa de 3.600 euros, e dois homens de 55 e 61 anos, que receberam multas de 2.400 euros. Segundo o juiz Karl-Peter Wittenberg, eles deixaram de prestar socorro a uma pessoa em perigo, o que é ilegal na Alemanha. A lei prevê que tal assistência deve ser fornecida em caso de acidente, perigo ou emergência. O mesmo se aplica, por exemplo, a quem presencie um acidente de carro numa rodovia. Os três envolvidos viram a vítima caída em outubro do ano passado numa agência bancária em Essen. O incidente aconteceu durante um feriado bancário, por isso não havia funcionários no banco naquela data, e os clientes tinham acesso a uma parte da agência somente para usar os caixas eletrônicos. Segundo a imprensa alemã, o aposentado entrou no banco para realizar uma transferência. Ele passou mal e caiu duas vezes, batendo com a cabeça no chão. Após uma segunda tentativa de se levantar, voltou a cair e ficou deitado inconsciente no meio da sala, apesar de leve movimentos. Conforme mostram os vídeos feitos por câmeras de segurança no interior da agência, quatro clientes entraram no local após o incidente, mas desviaram do idoso ou passaram por cima dele, usaram os caixas eletrônicos e saíram do banco sem dar muita atenção ao homem estirado no chão. Somente um quinto cliente chamou uma ambulância. O aposentado chegou a ser levado ao hospital, mas não retomou a consciência e morreu dias mais tarde. Um médico legista afirmou ao tribunal que o idoso não necessariamente teria sobrevivido se houvesse um socorro mais rápido. Quando questionados sobre o caso, dois dos acusados disseram acreditar que o homem era um sem-teto que dormia no interior da agência. Dois policiais que o socorreram disseram que ele estava bem vestido e não carregava objetos geralmente vistos com pessoas desabrigadas, como sacos de dormir ou sacolas para transportar seus pertences. "Para nós, estava claro que não se tratava de uma pessoa sem-teto", disse um policial. Os três clientes do banco condenados nesta segunda-feira admitiram que cometeram um erro ao ignorar o aposentado e se disseram arrependidos. O juiz, em sua decisão, destacou que "ninguém quis ajudar" o idoso, e todos se mostraram "simplesmente indiferentes". Os acusados foram identificados com base nos vídeos das câmeras de segurança e em seus dados bancários, uma vez que eles usaram os serviços do banco naquele dia. Três compareceram ao tribunal em Essen nesta segunda-feira. O quarto acusado alegou motivos de saúde e será julgado em outra data. EK/ap/afp/dpa/epd/dw

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos