Sob críticas, May faz discurso marcado por panes

Fala da premiê britânica em congresso do Partido Conservador era vista como essencial para reafirmar sua liderança, mas acaba marcada por interrupções, de ataques de tosse a invasão de comediante.Em meio a críticas da oposição e brigas internas em seu partido devido ao Brexit, a primeira-ministra britânica, Theresa May, encerrou nesta quarta-feira (04/10) o congresso anual do Partido Conservador com um discurso focado na defesa de seu governo e na unidade da legenda, mas que acabou ofuscado por uma série de panes.

A fala de May era vista como essencial para demonstrar autoridade depois que seu partido perdeu a maioria absoluta no Parlamento nas eleições passadas e após ela ser acusada pela oposição trabalhista de falta de liderança nas negociações para a saída da União Europeia (UE).

O discurso, porém, foi marcado por interrupções, incluindo contínuos ataques de tosse e falhas na voz da premiê, que fez várias pausas para beber água, em meio a aplausos de ânimo e crescente preocupação dos assistentes.

Em certo momento, algumas letras do painel atrás de May – que diziam "Construindo um país que funcione para todos", slogan do Partido Conservador – caíram enquanto ela falava.

Em outro episódio, um comediante interrompeu o discurso para entregar à líder um formulário P45, recebido pelos trabalhadores britânicos quando são demitidos. Enquanto era retirado pelos seguranças, ele brincou que foi enviado por Boris Johnson, ministro britânico do Exterior.

O gabinete de May adiantou que haverá uma investigação minuciosa do incidente. A polícia afirmou que o homem, que foi brevemente detido a fim de "prevenir violação da paz", possuía credencial válida para participar do congresso, realizado em Manchester.

O discurso de May

Falando a seus companheiros de partido, May iniciou o discurso se desculpando pelos fracos resultados dos conservadores nas eleições de junho e lembrou que seu governo tem um "dever" com o Reino Unido. "Avançaremos e daremos ao país o governo que ele precisa", disse ela, reafirmando o "sonho britânico" de que "a vida deve ser melhor para as próximas gerações".

Sobre a saída da União Europeia, May afirmou que está "confiante de que chegará a um acordo que seja bom tanto para o Reino Unido como para Europa", mas admitiu, apesar do otimismo, que seu governo se prepara para "qualquer eventualidade" nas negociações.

A premiê ainda tranquilizou os cidadãos europeus que vivem no Reino Unido, declarando que eles são bem-vindos no país e que o governo britânico quer que eles fiquem. Ela pediu um acerto rápido para a questão.

Autoridades britânicas e europeias têm manifestado impaciência com a falta de progressos nas discussões sobre o Brexit. Na terça-feira, o Parlamento Europeu condenou a "falta de propostas claras" por parte do Reino Unido e alertou que as negociações não devem avançar na própria etapa.

O discurso de May ocorreu 15 meses depois do referendo realizado no Reino Unido sobre a saída do país da União Europeia. O divórcio deverá ocorrer em 29 de março de 2019, dois anos após o início do processo de saída, realizado com a ativação do Artigo 50 do Tratado de Lisboa.

EK/ap/dpa/afp/rtr/efe/lusa/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos