Loja de armas de Las Vegas recebe ameaças

Funcionários de estabelecimento relatam mensagens de ódio e intimidações, após divulgação de vendas a Stephen Paddock. Atirador teria montado arsenal adquirindo armamento em quatro estados americanos ao longo dos anos.Funcionários de uma das lojas de Las Vegas que vendeu armas ao atirador Stephen Paddock, responsável por abrir fogo num festival de música country e matar 58 pessoas, afirmaram que estão recebendo mensagens de ódio e ameaças.

David Famiglietti, presidente da rede New Frontier Armory, onde Paddock adquiriu diversas armas neste ano, garantiu estar cooperando com várias agências federais, mas escreveu em sua conta no Facebook que ele e seus funcionários estão recebendo mensagens ameaçadoras.

"Desde a divulgação da notícia de que somos uma das várias lojas em que Paddock comprara armas de fogo na área, eu e meus funcionários recebemos mensagens de ódio e ameaças, ligações telefônicas intimidadoras. Pessoas estão deixando avaliações falsas sobre nossa empresa em várias plataformas", escreveu Famiglietti. "Mesmo que não seja importante no momento, pedimos que as pessoas direcionem sua raiva para onde ela pertence, em vez de ameaçar e ferir outros."

"Toda minha equipe leva seu trabalho muito a sério e, se houvesse suspeitas durante essa transação, assim como em qualquer outra, ela teria sido interrompida imediatamente", afirmou Famiglietti. "Todos os requisitos estaduais e federais foram cumpridos."

Antes de ter aberto fogo contra uma multidão que acompanhava um show em frente ao hotel Mandalay Bay, Paddock comprou um arsenal de armas de fogo e munições em vários estados (Nevada, Utah, Califórnia e Texas) no decorrer dos anos, de acordo com Jill Snyder, agente especial encarregado do escritório de campo do Departamento de Álcool, Tabaco, Armas de Fogo e Explosivos de São Francisco.

Investigadores encontraram 23 armas no quarto do hotel. Operações de apreensão e busca executadas nas residências de Paddock em Mesquite e Reno encontraram outras 26 armas de fogo, segundo a polícia local. Segundo o delegado do condado de Clark, foram encontradas também uma "infinidade" de munições, além de eletrônicos e materiais explosivos.

Cristopher Sullivan, gerente da loja Guns & Guitars, afirmou que não se sente culpado pelo massacre, mas que ficou com o estômago embrulhado quando soube da notícia. "Nós fazemos tudo certo. Não podemos controlar o que alguém faz uma vez que deixam nossa loja", disse Sullivan, em entrevista à emissora CBS. "Isso [o ataque] me deixou fisicamente doente ao pensar que tínhamos interagido com ele e que ele cometeu tal tragédia."

Paddock foi um cliente de longa data da Guns & Guitars, localizada em Mesquite. Desde ano passado, ele comprou cinco armas, incluindo um rifle adquirido na quinta-feira da semana passada – no mesmo dia em que deu entrada no hotel Mandalay Bay. "Talvez eu tenha sido a última pessoa a apertar a mão desse homem", concluiu Sullivan.

PV/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos