PF prende presidente do COB

Carlos Arthur Nuzman é preso no Rio de Janeiro dentro das investigações que apuram compra de votos na escolha da cidade como sede dos Jogos Olímpicos de 2016.Foi preso nesta quinta-feira (05/10) no Rio de Janeiro o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Carlos Arthur Nuzman, dentro das investigações que apuram a compra de votos para a escolha da cidade como sede dos Jogos de 2016.

A ação da Polícia Federal é um desdobramento da chamada Operação Unfair Play. Também foi detido Leonardo Gryner, considerado o braço-direito de Nuzman no comitê organizador dos Jogos.

Nuzman é o único presidente de um comitê organizador de Jogos Olímpicos a ocupar também o cargo de chefe de comitê olímpico do país-sede.

Segundo os investigadores, Nuzman seria a "ponte" entre o esquema de do governo Sérgio Cabral, condenado a 45 anos de prisão por corrupção e participação em organização criminosa, e os membros do Comitê Olímpico Internacional (COI).

A investigação se centra na compra do voto do senegalês Lamine Diack por 2 milhões de dólares. A PF afirma que o empresário Arthur César Soares de Menezes, foragido há um mês, foi o responsável por pagar a quantia a ele em outubro de 2009, semanas antes da escolha do Rio como sede.

A propina ao senegalês foi debitada de uma dívida de Soares, conhecido com o "Rei Arthur", com Cabral. O empresário obteve mais de 3 bilhões de reais em contratos com o estado do Rio. As novas provas que basearam o pedido de prisão contra o presidente do COB e seu braço-direito são e-mails encontrados no comitê trocados entre Nuzman, Gryner e Papa Diack, filho de Lamine Diack.

RPR/ots

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos