Ex-ministra francesa da Cultura é eleita chefe da Unesco

Na última rodada de votação, Audrey Azoulay supera candidato do Catar e assume agência de educação e cultura da ONU em meio à crise acirrada pela saídas de EUA e Israel.A ex-ministra de Cultura da França Audrey Azoulay foi eleita nesta sexta-feira (13/10) diretora-geral da Unesco, a agência de educação e cultura da ONU. A eleição ocorreu um dia depois dos Estados Unidos e de Israel saírem da organização.

Azoulay disputou a última rodada da eleição contra o catariano Hamad bin Abdulaziz e venceu ao receber 30 dos 58 votos do conselho executivo. A francesa, de família judaica, começou a disputa no início da semana com pouco apoio, mas sua candidatura ganhou força após algumas desistências.

"Neste momento de crise, acredito que precisamos investir na Unesco mais do que nunca, apoiá-la, fortalecê-la e reformá-la. E não deixá-la", afirmou Azoulay, de 45 anos, após sua eleição.

Leia mais: Unesco sofre com falta de dinheiro e politização

Azoulay foi ministra da Cultura da França entre 2016 e 2017, durante o governo do presidente François Hollande. Ela possui uma vasta experiência no meio político e conhece muito bem os setores cultural e das comunicações.

Após a eleição, o presidente francês, Emmanuel Macron, parabenizou a conterrânea. "Parabéns. A França continuará a luta pela ciência, educação e cultura no mundo", escreveu Macron no Twitter.



A eleição de Azoulay foi um golpe para os países árabes, que esperavam assumir pela primeira vez a liderança da organização, que já foi comandada por europeus, asiáticos, africanos e americanos.

A indicação da francesa precisa agora ser aprovada na assembleia-geral da Unesco que ocorre em novembro, mas não deve haver surpresas, pois esse processo é apenas uma formalidade.

Azoulay será a segunda francesa a comandar a agência, depois de Rene Maheu, que esteve a frente da Unesco entre 1961 e 1974. Ela substituirá a búlgara Irina Bokova, que ocupou o cargo nos últimos oito anos, numa gestão marcada pela crise financeira e por críticas pela inclusão da Palestina na organização com o status de membro pleno.

CN/efe/ap/rtr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos