Ministro do Interior sugere feriado muçulmano na Alemanha

Thomas de Maizière diz que data poderia ser introduzida em regiões do país onde vivem muitos muçulmanos. Conservadores criticam proposta, e líder social-democrata elogia.O ministro do Interior da Alemanha, Thomas de Maizière, foi duramente criticado por correligionários nesta sexta-feira (13/10) por ter sugerido a criação de um feriado religioso muçulmano em algumas regiões da Alemanha.

Durante um evento na cidade de Wolfenbüttel, ele disse que se pode pensar sobre a criação de um feriado muçulmano em regiões onde vivem muitos seguidores do islamismo e lembrou que alguns feriados, como o Dia de Todos os Santos, também só existem onde há muitos católicos.

A declaração provocou duras críticas de políticos dos partidos conservadores União Democrata Cristã (CDU), à qual De Maizière é filiado, e União Social Cristã (CSU). "Introduzir feriados islâmicos na Alemanha está fora de questão para nós", declarou o líder da CSU no Parlamento, Alexander Dobrindt, ao jornal Bild. Segundo ele, a tradição cristã da Alemanha não está em debate.

O vice-presidente da CSU, Manfred Weber, declarou ao Passauer Neue Presse que feriados representam sobretudo o cunho religioso de um país e não grupos sociais específicos. Para ele, a Alemanha tem uma inquestionável tradição cristã.

Na CDU, o especialista em questões sociais Wolfgang Bosbach afirmou não ver motivos para que feriados não cristãos sejam postos sob a proteção de normas legais. "Temos uma tradição judaico-cristã e não islâmica."

Já o presidente do Partido Social-Democrata, Martin Schulz, declarou que a sugestão deve ser considerada e debatida com seriedade. O Conselho Central dos Muçulmanos na Alemanha elogiou a ideia, afirmando que ela favorece a integração dos muçulmanos na sociedade.

Devido às críticas, o Ministério do Interior esclareceu neste sábado que o ministro "estaria disposto a debater sobre feriados muçulmanos isolados em determinadas regiões, mas, de forma geral, ele se atém à convicção de que nossa cultura de feriados tem raiz cristã e nenhuma outra".

O ministério também lembrou que as decisões sobre feriados cabem aos estados e não ao governo federal. "Ou seja, o ministro do Interior não tem qualquer influência sobre a existência ou não de feriados religiosos, incluindo islâmicos."

AS/dpa/afp

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos