Força Aérea não informou FBI sobre histórico de atirador do Texas

Segundo regras do Pentágono, informações sobre condenação por violência doméstica deveriam ter sido repassadas, o que poderia ter impedido autor do massacre em igreja texana de comprar armas.A Força Aérea americana admitiu nesta segunda-feira (06/11) não ter informado o FBI sobre o histórico de violência de Devin Patrick Kelley, o atirador que matou 26 pessoas numa igreja do Texas.

As regras do Pentágono estabelecem que informações sobre militares condenados por crimes como agressão devem ser enviadas ao FBI e incluídas no banco de dados do registro criminal nacional, o que possivelmente impediria Kelley de adquirir armamentos como o fuzil AR-15 utilizado no massacre na igreja batista de Sutherland Springs.

Kelley foi condenado num tribunal da Força Aérea no Novo México em 2012 por agressões à esposa e ao filho, que sofreu uma fratura no crânio. Ele cumpriu 12 meses numa prisão militar antes de ser dispensado por má conduta em 2014.

A Força Aérea americana reconheceu o erro e informou que abriu um inquérito para investigar o caso. "Vamos avaliar também o banco de dados da Força Aérea para garantir que outros casos sejam reportados corretamente. A Força Aérea pediu também ao inspetor geral do Departamento de Defesa que analise os registros e procedimentos em todo o Departamento de Defesa", disse uma porta-voz da corporação.

Além da condenação pela Corte Marcial da Força Aérea, Kelley também teve outros episódios registrados. Em 2014, pouco antes de ser dispensado, a polícia local respondeu a um chamado de violência doméstica envolvendo sua namorada, que se tornaria sua segunda esposa.

No mesmo ano, ele respondeu a uma acusação de maus-tratos contra animais após um vizinho denunciá-lo por agredir um cão. Ele negou a acusação, mas aceitou pagar 370 dólares em reparações.

O massacre na igreja texana aparenta ter sido motivado por uma situação doméstica. Investigadores revelaram que Kelley havia enviado mensagens ameaçadoras à sogra. Ela é membro da Primeira Igreja Batista de Sutherland Springs, mas não estava no local durante o ataque.

Com base nas evidências, os investigadores acreditam que Kelley, de 26 anos, se suicidou após ser perseguido por civis armados. Ele chegou a telefonar para o pai dizendo que estava ferido e que achava que não iria sobreviver.

Após o massacre, três armas foram apreendidas: um fuzil AR-556 foi encontrado na igreja, e duas pistolas estavam no carro de Kelley.

RC/lusa/ap

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos