Australianos votam "sim" ao casamento gay

Em consulta popular na Austrália, 61,6% dos eleitores se dizem a favor de uma alteração na legislação do país para permitir o matrimônio entre pessoas do mesmo sexo. Primeiro-ministro promete avançar pauta até o Natal.A maioria dos australianos é a favor de uma alteração na legislação do país para que seja permitido o casamento entre pessoas do mesmo sexo, segundo revelou uma consulta popular realizada pelo correio, cujo resultado foi divulgado nesta terça-feira (14/11) – já quarta-feira, no horário local.

Segundo o Escritório de Estatísticas da Austrália, mais de sete milhões de pessoas, ou 61,6% dos eleitores, votaram no "sim", a favor da legalização do casamento homossexual.

A participação na consulta foi intensa, chegando a quase 80%: 12 milhões entre os 16 milhões de eleitores deram seu voto – um índice mais alto do que o registrado na votação sobre o Brexit no Reino Unido e no referendo sobre casamento gay na Irlanda.

"Os australianos se uniram como nunca em apoio aos gays e lésbicas e entregaram uma mensagem inequívoca ao Parlamento para que ele faça seu trabalho e torne legal o casamento entre pessoas do mesmo sexo", afirmou o parlamentar Alex Greenwich, porta-voz da campanha pela igualdade matrimonial, em entrevista à agência de notícias DPA.

A consulta popular não é vinculativa, mas abre as portas para que o Parlamento da Austrália dê início a discussões sobre o tema e torne o país a 26ª nação do mundo a formalizar a união homossexual.

Após a divulgação dos resultados, o primeiro-ministro Malcolm Turnbull fez um pronunciamento e prometeu colocar em pauta uma proposta de alteração da lei antes do Natal.

"Eles votaram 'sim' à justiça, ao comprometimento e ao amor", afirmou o premiê em mensagem transmitida na televisão. "Devemos respeitar a voz do povo. Pedimos sua opinião, e ela foi dada. É inequívoca, é esmagadora", acrescentou Turnbull. "É nosso trabalho respondê-la."

O resultado marca um momento decisivo para os direitos dos gays na Austrália, onde, até 1997, ainda era ilegal em alguns estados se envolver em qualquer atividade homossexual.

Milhares de apoiadores da causa LGBT estiveram reunidos em um parque no centro de Sydney para aguardar os números da consulta. Quando o resultado foi divulgado em um telão, a multidão comemorou com abraços e choro, carregando cartazes com dizeres como "Nosso amor é real".

EK/afp/dpa/lusa/rtr

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos